COPA DO MUNDO 2014 | BRASIL 2 x 1 COLÔMBIA

O Brasil sente as dores de Neymar

Torcedores nas redes sociais acusam o ‘golpe’ da lesão que tirou o atacante da Copa e tentam encarar os próximos desafios com otimismo

Neymar se contorce no gramado.
Neymar se contorce no gramado.FABRIZIO BENSCH (REUTERS)

O lance não parecia tão grave. Ainda que distante de suas melhores apresentações, o atacante Neymar buscava o jogo no fim do segundo tempo e, ao receber uma bola após uma rebatida da defesa, sofria uma joelhada nas costas do lateral colombiano Zuñiga. Na sequência do lance, o árbitro ainda deu a lei da vantagem e o Brasil buscou o gol.

O camisa 10, no entanto, permanecia caído. A repetição da jogada na TV e a saída na maca só fizeram com que os brasileiros respirassem fundo, torcendo contra o pior, mas já antecipando o inevitável: a seleção perdia o seu astro para o restante da Copa com uma fratura na vértebra, a apenas duas partidas do sonhado hexacampeonato em casa.

Logo depois da confirmação da notícia nesta sexta-feira, a repercussão foi grande nas redes sociais, com a hashtag “ForcaNeymar” se tornando o assunto mais comentado no Twitter no país. A própria presidenta Dilma Rousseff se pronunciou sobre o tema. “Como todo o Brasil, estou na torcida pela recuperação do nosso craque”, disse, em sua conta na mesma rede social.

Jogadores como o experiente atacante Luís Fabiano, que esteve cotado para ir ao Mundial, também lamentaram o ocorrido. “Neymar, estamos orando por você, nada vai parar sua magia. Muita força, crack, logo você estará nos dando alegrias”, disse o atleta do São Paulo, via Twitter. “Neymar não sente só a dor da fratura. Ele sente também a dor de um sonho destruído”, acrescentava o internauta Yuri Nery no mesmo canal.

Os torcedores também lembraram a lesão sofrida por Pelé na Copa de 1962, no Chile, quando a seleção superou a ausência de seu principal jogador para conquistar o título, com atuações decisivas de Garrincha e Amarildo. Ou mesmo a conquista do tetra em 1994, diante de outro momento de dificuldade no esporte do país.

“Em 1962, Pelé se contundiu no segundo jogo. Amarildo entrou. O fim da história foi Brasil bicampeão. Seremos hexa sem Neymar”, apostou Flávia Oliveira, também via Twitter. “Cara, o Brasil vai ganhar esse hexa a gente merece. Quero ver o Neymar no dia junto, erguendo a taça com todo mundo”, acrescentava o perfil “jess” na mesma rede social.

Arquivado Em: