Israel desloca tropas para perto de Gaza em plena escalada de tensão

A morte de um jovem palestino incita a violência no leste da cidade

Disturbios em Jerusalén depois do assassinato de um palestino. (reuters_live)

Ao menos quinze pessoas ficaram feridas nesta quinta-feira na faixa de Gaza, durante os bombardeios da aviação israelense, segundo residentes locais. Enquanto isso, os milicianos palestinos dispararam foguetes contra Israel, provocando danos em duas casas na localidade de Sderot, mas sem provocar vítimas mortais. Além disso, o exército israelense está mobilizando suas tropas para a fronteira com a faixa depois dos distúrbios desta semana.

Os bombardeios israelenses alcançaram ao menos três centros de treinamento de Hamás em Gaza, segundo uma fonte do grupo islamista, que controla este enclave. 

Na quarta-feira estouraram violentos protestos em Jerusalém depois de encontrarem o cadáver de um adolescente palestino de 16 anos, possivelmente vítima de uma vingança depois da morte dos três jovens israelenses que foram sequestrados na Cisjordânia em 12 de junho. O Governo de Benjamín Netanyahu apontou desde o primeiro momento o Hamas como autor dos três assassinatos.

A cidade estava tranquila nesta quinta-feira, mas a tensão continua aumentando e a Polícia israelense segue pesquisando a morte do palestino. O adolescente palestino, Mohamed Abu Khudair, foi visto por última vez com vida quando era introduzido à força em um veículo na terça-feira, próximo de sua casa no bairro árabe de Shuafat, em Jerusalém. Por enquanto, não foi marcado o horário para o funeral do garoto, um acontecimento que poderia desencadear mais protestos palestinos.

Segundo uma porta-voz policial, ainda se estão realizando provas forenses, mas ele não quis precisar a entrega dos relatórios.

O presidente palestino, Mahmud Abbas, que acusou a colonos judeus da morte do adolescente, falou por telefone com o pai do garoto nesta quinta-feira. "Mohamed é um dos mártires deste grande povo", afirmou Abbas, segundo informa a agência oficial palestina WAFA.

O mais visto em ...Top 50