O Exército iraquiano assegura ter matado a 39 jihadistas em Saladino

Entre as vítimas, está o chefe militar dos rebeldes no norte de Tikrit, Abu Abdel Hadi

O general Qasem Ata, em coletiva de imprensa, neste sábado.
O general Qasem Ata, em coletiva de imprensa, neste sábado.AHMAD AL-RUBAYE (AFP)

O Exército iraquiano intensificou sua ofensiva contra os insurgentes sunitas na província de Saladino, ao norte de Bagdá, sobretudo nas cidades de Tikrit e Samarra, onde asseguram ter matado dezenas de jihadistas, segundo informaram neste sábado fontes oficiais.

Em Samarra, a 40 quilômetros ao sul de Tikrit, o porta-voz das Força Armadas, o general Qasem Ata, afirmou em uma coletiva de imprensa em Bagdá que 39 terroristas foram mortos. Entre eles está o chefe militar dos rebeldes no norte de Tikrit, identificado como Abu Abdel Hadi, assinalou Ata, que, não deu dados sobre as baixas nas filas do Exército.

Mais informações

Na ofensiva participam tanques e blindados apoiados pela aviação iraquiana, que está atacando locais onde se encontram os extremistas, bem como seu armamento e seus veículos. As operações também prosseguem na província ocidental de Al Anbar, feudo dos jihadistas radicais do Estado Islâmico do Iraque e O Levante (EIIL).

Fontes de segurança confirmaram as ações militares iniciadas em Tikrit, capital da província de Saladino, e em Samarra. As forças iraquianas chegaram, segundo as fontes, à zona de Makishifa, 12 quilômetros ao norte de Samarra, em seu caminho para Tikrit.

Uma fonte do hospital público de Tikrit assinalou que a cidade é palco de bombardeios violentos com aviões e artilharia, desde a madrugada passada, contra a maioria de seus bairros, especialmente no norte, que causaram um número indeterminado de vítimas.

Além disso, as forças de segurança mataram Ahmed Jaled Ibrahim, líder de uma milícia de partidários do falecido ditador Sadam Husein, e cinco de seus assistentes na zona de Mansuria al Yabal, 40 quilômetros ao leste de Baquba, capital da província oriental de Diyala.

O Iraque se encontra imerso em uma grave crise desatada pelo avanço de grupos insurgentes encabeçados pelo EIIL, que no último dia 10 tomou o controle de Mossul, a segunda cidade do país, e a partir de lá progrediu por outras zonas do norte e o centro.