A FIFA não castigará o México pelos gritos homofóbicos

As acusações foram retiradas e nenhuma sanção será aplicada, apesar da promessa da federação de ser implacável com os atos racistas durante esta Copa

Torcedores mexicanos durante México X Croácia.
Torcedores mexicanos durante México X Croácia.Ulises Ruiz Basurto (EFE)

O Comitê Disciplinar da FIFA decidiu hoje não sancionar a Federação Mexicana de Futebol pelos gritos homofóbicos e racistas proferidos por seus torcedores durante o jogo entre México e Camarões, disputado em 13 de junho em Natal.

Mais informações

O organismo avaliou, na semana passada, se o costume (comum no México) de gritar puto (viado) ao goleiro do time rival, cada vez que ele cobrava tiro de meta, era merecedora de sanção econômica (ou, em caso de recorrência, inclusive de penalização esportiva) e informou nesta segunda-feira que o expediente aberto "por conduta imprópria" foi concluído, e todas as acusações contra a Federação Mexicana de Futebol, retiradas. "Os incidentes não podem ser considerados insultos nesse contexto específico e não cumprem as condições para a aplicação do artigo 67 do Código Disciplinar da FIFA.

Apesar de que tanto o Governo brasileiro como o órgão reitor do futebol anunciaram a perseguição implacável a atos racistas durante esta Copa, a FIFA não se pronunciou ainda sobre as diversas reclamações. São exemplos os supostos símbolos neonazis mostrados por torcedores russos e croatas há mais de uma semana, além dos gritos homofóbicos similares aos escutados durante a partida Brasil X México no último dia 17.