Talibãs difundem vídeo da libertação do soldado dos Estados Unidos

Mais de 11.000 norte-americanos assinam uma petição para que o sargento seja castigado

Fotograma do vídeo da libertação de Berghdal.Reuters-LIVE!

O grupo terrorista dos talibãs difundiu nesta quarta-feira um vídeo da libertação do sargento norte-americano Bowe Bergdahl, que permaneceu cinco anos em cativeiro no Afeganistão. As imagens mostram o soldado sentado em uma caminhonete, antes de ser transferido a um helicóptero das forças armadas dos EUA.

A libertação no último sábado de Bergdahl, de 28 anos, em troca de cinco talibãs presos em Guantánamo, suscitou uma controvérsia em EUA, onde mais de 11.000 pessoas já assinaram uma petição à Casa Blanca para que o sargento seja castigado por "desertor". Os signatários acusam ao soldado de "abandonar seu posto" com intenção de não apoiar a guerra contra o terrorismo e lhe atribuem "ser diretamente responsável" pela morte de vários militares que faleceram nas operações de busca.

O presidente de EUA, Barack Obama, não descartou nesta terça-feira, em Varsóvia — a primeira etapa de sua turnê europeia — a possibilidade de que as autoridades militares pesquisem no futuro a conduta do soldado, embora fez questão de frisar que a prioridade agora é sua recuperação. Já o chefe do Estado-Maior, o general Martin Dempsey, foi um pouco mais explícito. Em uma mensagem publicada na rede social Facebook, disse que Bergdahl, “como qualquer americano, é inocente até que se demonstre o contrário”.

Bergdahl encontra-se em uma condição estável no centro médico militar da base de Landstuhl, na Alemanha. Seus pais, Bob e Joni Bergdahl, informaram que ainda não se comunicaram com o filho para "dar a ele tempo" a se adaptar a sua nova situação e afirmaram que o sargento não concederá entrevistas até um "futuro distante".

Imágenes da libertação dos cinco talibãs.

Arquivado Em: