Seleccione Edição
Login

O massacre da Califórnia foi anunciado por seu autor em um vídeo na Internet

Elliot Rodger, de 22 anos, tornou público seu isolamento e frustração sexual com as mulheres e ameaçou realizar uma matança apenas 24 horas antes do crime

Um estudante deixa uma vela pelas vítimas do massacre.
Um estudante deixa uma vela pelas vítimas do massacre. AFP

A polícia identificou Elliot Rodger, um estudante de 22 anos da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, como o autor do massacre ocorrido na noite de sexta-feira nas imediações do campus, em Isla Vista, que deixou sete mortos e 13 feridos.

A polícia classificou de “espasmo de terror” os acontecimentos daquela noite, quando Elliot Rodger começou sua orgia violenta esfaqueando três homens em seu apartamento e depois disparou contra outros três transeuntes nas ruas do pequeno povoado universitário.

O próprio autor do massacre foi encontrado morto com um ferimento a bala na cabeça, após conseguir fugir da polícia em várias rajadas de fogo cruzado e de bater o BMW que dirigia em um veículo estacionado. Segundo os agentes, tudo aponta para que Rodger tenha tirado sua própria vida. No veículo que ele conduzia foram encontradas três pistolas semiautomáticas e muita munição.

O massacre protagonizado por Elliot Rodger é a crônica de uma morte anunciada, nesta ocasião online, através de vários vídeos e de documentos que este estudante foi deixando na rede. O último, 24 horas antes de a tragédia acontecer. Ele reclamava, mais uma vez, de isolamento, frustração sexual e da rejeição das mulheres, sua grande dor de cabeça.

Afirma que aos 22 anos ainda é virgem e que será o último vídeo que coloca na rede: “Amanha será o dia da vingança. O dia da minha vingança contra a humanidade, contra todos vocês. Durante os últimos oito anos da minha vida, desde a minha puberdade, tenho que suportar uma existência de solidão, rejeição e desejos não satisfeitos. E tudo porque nunca fui atrativo para as garotas e tive que apodrecer na solidão. Não entendo como é possível que não seja atrativo. Vou castigar todas por isso”.

O castigo do qual fala começava na noite de sexta-feira em seu apartamento e prosseguia em uma rota semeada de cenas de terror pelas ruas de Isla Vista. Segundo o xerife Bill Brown, do condado de Santa Bárbara, o assassino apunhalou várias vezes as três pessoas que matou em seu apartamento, deixando um cenário de crime carregado de horror. Depois dirigiu-se à residência estudantil para meninas da Universidade da Califórnia e bateu na porta, mas ninguém abriu, e então disparou contra duas jovens que passavam por ali e feriu uma terceira. A sexta vítima, um rapaz, foi atingido por tiros no IV Deli Mart, um estabelecimento onde estava comendo.

A identidade das vítimas vai se revelando: Veronika Weiss, Katie Cooper e Kristopher Michael–Martínez. Durante a noite de sábado, centenas de pessoas realizaram uma vigília segurando velas em procissão pelas ruas de Isla Vista em memória das vítimas. A população e a Universidade estão comovidos com o ocorrido.

Além do vídeo, Rodger preparou um manifesto de 141 páginas em que relatava um plano detalhado para o massacre, começando com os crimes em seu apartamento, Segundo o xerife, “todo o material analisado aponta para um massacre coletivo premeditado”.

Em todos os documentos publicados na Internet a imagem psicológica que se apresenta é a mesma: um jovem solitário profundamente frustrado com as mulheres e com seu celibato involuntário. Em uma rede onde os jovens compartilham sua raiva por permanecerem virgens ele pergunta “por que as garotas o odeiam tanto”.

A polícia já havia visitado o apartamento do autor dos crimes em 30 de abril, após um telefonema da mão dele aos agentes, preocupada com o conteúdo dos vídeos que seu filho colocava na Internet. Encontraram, segundo relataram, um rapaz cordial e educado que não reunia nenhum requisito para ser detido. Os agentes dizem que esse tipo de telefonema é muito comum e não desperta nenhuma suspeita especial.

A família do autor do massacre está completamente comovida e expressou suas condolências com as vítimas através de um comunicado. O pai, Peter Rodger, de nacionalidade britânica e morador de Los Angeles, é um roteirista de cinema, conhecido por sua codireção do filme “Jogos Vorazes”.

Elliot Rodger teve desde sua mais tenra idade problemas emocionais, sobretudo a partir do divórcio de seus pais, segundo disseram amigos da família, que também dizem que no colégio ele foi vítima de assédio escolar e bullying por parte de seus colegas.

MAIS INFORMAÇÕES