Uma explosão destrói um hotel e outros prédios no centro de Alepo

Os insurgentes colocaram uma bomba em um túnel que passava por baixo do edifício, segundo jornais locais

Imágenes da explosão em Alepol (reuters_live)

Uma explosão em Alepo , a segunda cidade mais importante da Síria, destruiu nesta segunda-feira o hotel Carlton Citadel e outros edifícios vizinhos, segundo meios de comunicação sírios e ativistas citados pela rede britânica BBC. Um grupo de insurgentes detonou um artefato colocado em um túnel escavado nos alicerces do edifício, em que, segundo os grupos opositores ao regime de Bashar al Assad, se encontravam tropas governamentais. O ataque ocorreu um dia após que centenas de rebeldes sírios abandonarem os últimos bastiões insurgentes em Homs, terceira cidade do país e bastião da resistência contra o regime.

"Rebeldes islamistas desmoronaram o histórico Hotel Carlton na cidade velha de Alepo, colocando uma grande quantidade de explosivos em um túnel sob o edifício", explica em um comunicado o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

A ONG informou que teve vítimas entre os soldados e as milícias do regime baseadas no hotel, embora sem dar números precisos. "Os terroristas atacaram o Carlton provocando uma forte explosão que causou sua destruição e a dos edifícios nas redondezas", disse por sua vez na televisão estatal, em referência aos chamados "terroristas" pelo regime.

O hotel, situado perto do centro histórico da cidade de Alepo, foi um dos estabelecimentos mais exclusivos da antiga capital econômica da Síria antes de que fosse devastada pelos combates em 2012.

Ao longo das últimas semanas os rebeldes tentaram avançar na área de Alepo, em que estão entrincheiradas as tropas de Assad. As áreas sob controle dos insurgentes sofreram intensos bombardeios desde a metade de dezembro por parte das tropas do regime. Vários ataques ocorreram com helicópteros que bombardearam de maneira indiscriminada zonas muito povoadas, causando milhares de vítimas entre a população civil.