RACISMO NO FUTEBOL

O Villarreal veta “para sempre” o torcedor que jogou a banana em Dani Alves

A rapidez das forças de segurança do estádio do Madrigal, junto com os torcedores que presenciaram a cena, colaboraram para a identificação do responsável

Captura do momento em que Alves come a banana.
Captura do momento em que Alves come a banana.

Graças às forças de segurança presentes no estádio El Madrigal e a colaboração dos torcedores do time local, o clube pôde identificar o autor que jogou a banana a Dani Alves quando o lateral-direito do Barça estava a ponto de bater o escanteio, no minuto 75 do encontro entre o Villarreal e o Real Madrid. Delatado pelos próprios simpatizantes que se encontravam ao lado do indivíduo, a entidade de Roig retirou a carteirinha de sócio do Villarreal do sujeito para sempre. O autor do ato depreciativo encontra-se “arrasado, arrependido e envergonhado”, segundo suas palavras, e afirmou que não é “racista, foi um impulso do momento”. O Villarreal lamenta e repudia profundamente o incidente e alega que “sua firme vocação pelo respeito, a igualdade, e o esporte, e recusa qualquer ato violento, de discriminação, racismo ou xenofobia”, afirma o clube amarelo, como é possível ler em numerosos cartazes distribuídos pelo El Madrigal.

O Villarreal não revelou a identidade do autor, que se encontrava no canto norte do El Madrigal, local onde havia um pequeno reduto de cerca de 50 integrantes, aprendizes de radicais e que se instaurou há duas temporadas no El Madrigal. Trata-se de um grupo de animação que confunde às vezes o de apoiar a equipe com má educação. A direção do clube amarelo está descontente com o comportamento deste coletivo, que "enfeia" a torcida-modelo do Villarreal, que foi nomeada a melhor da temporada passada na Segunda Divisão.

Cabe destacar que é o segundo desagradável incidente que acontece no El Madrigal neste período. O primeiro foi o lançamento de uma lata de gás lacrimogêneo, em 15 de fevereiro, no encontro entre o Villarreal e o Celta. O jogo foi suspenso por 20 minutos e obrigou 14.000 torcedores a abandonarem o recinto esportivo. Ainda se desconhece a autoria desse ato de vandalismo.

Arquivado Em: