Quase 300 desaparecidos e quatro mortos em um naufrágio na Coreia do Sul

A balsa que se dirigia a uma ilha turística levava 459 pessoas a bordo, a maioria estudantes do ensino médio. Acredita-se que ela tenha se chocado contra um recife subaquático

Resgate do 'Sewol'. (reuters_live)

Uma balsa com 459 pessoas a bordo, a maioria delas estudantes do colegial, naufragou nesta quarta-feira na costa meridional da Coreia do Sul. Quatro pessoas morreram e quase 300 continuam desaparecidas, segundo os dados da Guarda Costeira, que desmentiu as informações iniciais de que eram uma centena. Cerca de trinta barcos e vinte helicópteros participam em uma ampla operação de resgate, informa a BBC.

Quase três horas depois que a água começou a entrar na embarcação, após uma aparente colisão, a balsa tombou e submergiu quase totalmente, enquanto estava rodeada de helicópteros e lanchas de resgate, segundo imagens da TV sul-coreana YTN.

Gráfico aponto o local do naufrágio.
Gráfico aponto o local do naufrágio.EL PAÍS

A Guarda Costeira sul-coreana confirmou a existência de duas mortes. A primeira de uma mulher de 27 anos, que fazia parte da tripulação, e a segunda de um homem sem identificação, entre 20 e 30 anos, que morreu após o resgate, já no hospital. Após da errônea informação inicial do Ministério de Segurança de que 368 pessoas teriam sido resgatadas com vida, atribuída a um erro de cálculo, a Guarda Costeira reduziu a cifra para 164. Assim, 300 continuam desaparecidas e o acidente vai adquirindo ares de tragédia conforme o passar das horas.

Um total de 325 passageiros do barco, que afundou a cerca de 20 quilômetros da ilha de Byeongpyung, são estudantes de ensino médio que realizavam uma viagem escolar à ilha de Jeju, um dos principais destinos turísticos do país, ao sudoeste da península. Eles estavam acompanhados por 14 professores. A bordo, estavam também 29 membros da tripulação. 

O navio Sewol, com capacidade para 900 pessoas, fazia o trajeto entre Incheon (ao oeste de Seul) e a ilha de Jeju. Ele emitiu um sinal de socorro às nove da manhã (hora local; 21h no Brasil). Aproximadamente uma hora e meia depois, as autoridades ofereceram uma mensagem tranquilizadora ao anunciar que todos os passageiros poderiam ser resgatados em poucas horas, embora o naufrágio do barco tenha ocorrido, ao que parece, mais rápido do que o esperado. Vários passageiros relatam que escutaram um forte golpe, após o qual a embarcação começou a se sacudir e inclinar.