viajantes urbanos

Pontapé gastronômico no Rio

O festival brasileiro 'Comida di Buteco' cumpre 15 anos com a participação de 400 bares em 16 cidades do país

Sat's em campo, criado pelo bar Sat's do Rio de Janeiro para o festival gastronômico 'Comida di Buteco'.
Sat's em campo, criado pelo bar Sat's do Rio de Janeiro para o festival gastronômico 'Comida di Buteco'.Marcos Pinto

Copa Cubana, Brazuca, Sat's em campo ou Pontapé Inicial são os nomes de alguns dos pratos que concorrem no festival gastronômico Comida di Buteco no Rio de Janeiro, de 11 abril a 11 de maio, e que demonstram que na cidade carioca só se respira futebol a poucos meses da Copa. Este evento gastronômico, criado em 1999 em Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais, pretende valorizar a cozinha dos tradicionais botecos (bares) brasileiros. O festival, que cumpre 15 anos, conta para esta edição com a participação de 400 locais em 16 cidades do país.

No Rio, concretamente, acolhe novas receitas de 31 botecos, criadas especialmente para o festival. E embora o tema seja livre, muitos deles elegeram o esporte rei como fonte de inspiração. Por exemplo, o bar Sat's, em Copacabana, tenta recrear a grama de um campo de futebol em seu Sat's em campo, a partir de um creme de queijo com coco e carne moída.

"O bar é uma grande equipe”, explica Sérgio Rabello, sócio do Sat's. “Temos aos que jogam na frente, o serviço; os que preparam a comida e o churrasco, no meio do campo; as reservas que sempre ajudam a somar e, claro, os torcedores que ficam sempre até que a casa feche suas portas… no dia seguinte. Por isso tivemos a ideia de criar um prato inspirado no futebol a partir de uma receita familiar".

O bar Palinha, no bairro Humaitá, também participa com seu Brazuca, feito com ingredientes tipicamente brasileiros (pedaços de carne ao molho de curry e ervas, frango frito com cerveja e nozes com ovos de codorna), e o boteco Pontapé Beach, com seu Pontapé inicial (três bolinhos de arroz com camarões e queijo Catupiry) escolheram a inspiração bolística. Outros bares preferiram apostar no mais tradicional, como o Carioquinha, na Lapa, que apresenta o biscoito de polvilho que se vende nas praias cariocas, o Globo, acompanhado de carne seca e molho especial da casa.

"O Comida di Buteco valoriza a comida típica, a cozinha de raiz", explica Eulália Araújo, gestora do festival. “E para melhorar o tratamento aos clientes (um dos critérios principais deste concurso que se decide por votação popular) a organização colabora neste ano contribuindo com 145 garçons repartidos entre os bares participantes para que estes possam atender melhor os turistas durante a Copa".

Arquivado Em: