A França muda a equipe econômica de Governo e recupera Ségolène Royal

O primeiro-ministro Manuel Valls elege o protecionista Montebourg para a pasta da Economia Fabius e Le Drian continuam nos ministérios das Relações Exteriores e da Defesa

Manuel Valls e François Hollande, no Eliseu.
Manuel Valls e François Hollande, no Eliseu.P. WOJAZER / Reuters

Manuel Valls, o novo primeiro-ministro da França, apresentou nesta quarta-feira o núcleo dos 15 grandes ministérios de seu novo Governo. O destaque é a nova equipe econômica, onde ganha muito peso o protecionista Arnaud Montebourg, açoite da Comissão Europeia e militante anti-globalização, que substitui Pierre Moscovici e se converte em superministro da Economia, Indústria e Novas Tecnologias.

Mais informações

A composição reflete as diversas correntes do Partido Socialista, com um piscar de olhos à ala esquerda do partido, representada pelos dois novos aliados geracionais de Valls, Montebourg e Benoît Hamon, que será novo titular da Educação.

O resgate de Ségolène Royal, ex-candidata à presidência e ex-parceira de François Hollande, como ministra da Ecologia, parece uma tentativa de dar um golpe de imagem e popularidade ao Governo depois do desastre dos socialistas nas eleições municipais, e resolve a saída do Governo dos Ecologistas.

Laurent Fabius (Relações Exteriores), Christiane Taubira (Justiça), Jean-Yves Le Drian (Defesa), Marisol Touraine (Assuntos Sociais) e Aurélie Filippetti (Cultura) mantêm-se em seus postos, enquanto Bernard Cazeneuve, ex-ministro do Orçamento, substituirá Valls na pasta das Relações Interiores.

A continuidade de Taubira, que teve frequentes confrontos com Valls nos últimos dois anos, é outro piscar de olhos do primeiro-ministro com a ala da esquerda do partido.

O primeiro-ministro também troca o porta-voz do Gabinete, que agora será Stéphane Le Foll, o ministro da Agricultura, em vez de Najat Vallaud-Belkacem, que mantém sua cadeira no ministério da Igualdade.

Michel Sapin, até agora ministro do Trabalho, passa a ser ministro da Fazenda e Orçamento, e o hollandiano François Rebsamen se encarregará da pasta do Trabalho, Emprego e Diálogo Social.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50