Seleccione Edição
Login

A 'Torre de David' em Caracas

O fotógrafo Jorge Silva retrata o interior do maior arranha-céu de Caracas, no centro da cidade, resultado de um abandono financeiro, e que se transformou em um bairro para cerca de 3.000 pessoas

  • O fotógrafo Jorge Silva retrata o interior do maior arranha-céu de Caracas, um edifício no centro da cidade, resultado de um abandono financeiro, e que se tornou em um bairro para cerca de 3.000 pessoas. Na imagem, Gabriel Rivas, de 30 anos, exercita-se em uma sacada do apartamento 28.
    1O fotógrafo Jorge Silva retrata o interior do maior arranha-céu de Caracas, um edifício no centro da cidade, resultado de um abandono financeiro, e que se tornou em um bairro para cerca de 3.000 pessoas. Na imagem, Gabriel Rivas, de 30 anos, exercita-se em uma sacada do apartamento 28. REUTERS
  • Batizado como a "Torre de David", o edifício seria sede de um novo centro financeiro na urbanização de San Bernardino, mas foi abandonado por volta de 1994 após a morte de seu criador, David Brillembourg e do colapso do setor financeiro venezuelano. Na imagem, vista da grande torre em Caracas.
    2Batizado como a "Torre de David", o edifício seria sede de um novo centro financeiro na urbanização de San Bernardino, mas foi abandonado por volta de 1994 após a morte de seu criador, David Brillembourg e do colapso do setor financeiro venezuelano. Na imagem, vista da grande torre em Caracas. REUTERS
  • Embora muitos caraquenhos a vejam como uma guarida de ladrões e símbolo da falta de respeito para a propriedade privada, os moradores acham que "A Torre David" é um refúgio seguro que os resgatou das regiões dominadas pelo crime. Na imagem, pessoas arrancam metal do andar 30 do arranha-céu.
    3Embora muitos caraquenhos a vejam como uma guarida de ladrões e símbolo da falta de respeito para a propriedade privada, os moradores acham que "A Torre David" é um refúgio seguro que os resgatou das regiões dominadas pelo crime. Na imagem, pessoas arrancam metal do andar 30 do arranha-céu. REUTERS
  • Quando a torre foi abandonada, a construção estava o suficientemente avançada nos primeiros 28 andares para ser habitável. Na imagem, um homem no interior de seu apartamento com sua família.
    4Quando a torre foi abandonada, a construção estava o suficientemente avançada nos primeiros 28 andares para ser habitável. Na imagem, um homem no interior de seu apartamento com sua família. REUTERS
  • As famílias pagam 200 bolívares mensais, que ajudam a financiar as patrulhas de segurança. Na imagem, jovens jogam basquete na garagem do edifício, 3 de fevereiro de 2014.
    5As famílias pagam 200 bolívares mensais, que ajudam a financiar as patrulhas de segurança. Na imagem, jovens jogam basquete na garagem do edifício, 3 de fevereiro de 2014. REUTERS
  • Foto de Chávez, sobre a frase "Comandante Eterno", enfeitam as paredes do edifício. Na imagem, José Aular posa com o retrato do ex-presidente Hugo Chávez no interior de seu apartamento, 6 de fevereiro 2014.
    6Foto de Chávez, sobre a frase "Comandante Eterno", enfeitam as paredes do edifício. Na imagem, José Aular posa com o retrato do ex-presidente Hugo Chávez no interior de seu apartamento, 6 de fevereiro 2014. REUTERS
  • Só os andares superiores têm grandes sacadas. Na imagem, uma criança monta em bicicleta em uma sacada da 'Torre de David'.
    7Só os andares superiores têm grandes sacadas. Na imagem, uma criança monta em bicicleta em uma sacada da 'Torre de David'. REUTERS
  • Paola Medina de 29 anos se prepara para sair de seu apartamento da torre, 25 de março de 2014.
    8Paola Medina de 29 anos se prepara para sair de seu apartamento da torre, 25 de março de 2014. REUTERS
  • Vista da 'Torre de David' em Caracas, 5 de fevereiro de 2014.
    9Vista da 'Torre de David' em Caracas, 5 de fevereiro de 2014. REUTERS