Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

FIFA decide sobre a permanência de Curitiba na Copa nesta terça-feira

A entidade anunciará se a cidade continua ou não no Mundial, após equipe técnica visitar o estádio que tem as obras mais atrasadas para o evento

Operário trabalha nas obras da Arena da Baixada.
Operário trabalha nas obras da Arena da Baixada. REUTERS

A FIFA pode dar um duro golpe nesta terça-feira à organização da Copa do Mundo no Brasil. A entidade anunciará se Curitiba, escolhida pela Espanha para se hospedar durante o torneio, seguirá ou não como cidade-sede do evento. Nos bastidores trabalha-se contra o relógio para evitar aquela que seria uma catástrofe não apenas para a cidade, como também para a imagem do país. A exclusão representaria uma decisão que não conta com muitos precedentes conhecidos.

Uma equipe técnica da FIFA visitará o estádio da cidade selecionado para o Mundial, a Arena da Baixada, para dar o seu veredicto. O palco é o mais atrasado entre os cinco que ainda faltam ser entregues para o torneio, sete anos após o anúncio do Brasil como país-sede. Atualmente a arena tem pouco mais de 90% das obras concluídas, mas chegou aos 88% já no fim de novembro.

No último domingo, o secretário-geral da FIFA saiu a público para reforçar que nenhuma decisão seria divulgada antes desta terça-feira. “Conforme anunciado várias vezes, a decisão sobre Curitiba ocorrerá só dia 18. O resto é pura especulação por pessoas que querem criar boatos”, definiu Jérôme Valcke em sua conta no Twitter.

O dirigente reagia a uma onda de comentários que surgiu nas redes sociais dando conta de que a capital paranaense já estaria excluída do programa oficial. A FIFA trabalhava com 31 de dezembro do ano passado como prazo final para a entrega de todos os estádios para o Mundial.

Foram contratados cerca de 300 operários depois da última visita de Valcke ao local, em janeiro. Na ocasião, o dirigente afirmou que a situação não era a “ideal”. “O estádio está muito atrasado e definitivamente fora dos prazos de entrega para o melhor uso da FIFA e pela Copa do Mundo”, afirmava.

Os novos trabalhadores se somaram aos mil que já estavam em atividade no canteiro do estádio do Atlético Paranaense. As obras nas áreas elétrica e de tecnologia da informação, por exemplo, tiveram seus horários estendidos, também a fim de garantir a aprovação técnica da FIFA.

Em entrevista ao EL PAÍS na última sexta-feira, o secretário municipal da Copa em Curitiba, o engenheiro civil Reginaldo Cordeiro, previa uma “grande surpresa” à FIFA após essa aceleração nas obras. Segundo ele, o gramado já está concluído, cerca de 15 mil assentos foram instalados, e a cobertura deveria estar acabada nesta segunda-feira.

O custo da exclusão de Curitiba, não apenas financeiro, seria muito maior do que o de uma confirmação. Seria inevitável, além do abalo à imagem do país na realização de eventos como a Copa do Mundo, o transtorno com o planejamento das seleções, a hospedagem dos torcedores e a transferência dos ingressos, que já começaram a ser vendidos.

Está prevista para Curitiba a realização de quatro jogos da Copa, todos na primeira fase: Irã x Nigéria, em 16 de junho, Honduras x Equador, dia 20, Austrália x Espanha, dia 23, e Argélia x Rússia, dia 26. A alternativa mais viável seria distribuí-los entre outras sedes já ratificadas, sobretudo na mesma região Sul ou no Sudeste.

Já a confirmação da cidade, além de dar sobrevida à organização no Paraná para o cumprimento dos próximos prazos, confirmaria mais um capítulo na relação “bate-assopra” da FIFA com o Brasil na organização da Copa.

O próprio Valcke, que deverá se pronunciar sobre Curitiba, foi quem criticou em 2012 a imobilidade brasileira nos preparativos para o torneio afirmando que os organizadores locais precisavam levar “um chute no traseiro”. Dias depois, ao perceber o mal-estar criado no Brasil, ele pediu desculpas e disse ter sido mal interpretado em suas palavras.

MAIS INFORMAÇÕES