Os latinos serão, em março desse ano, o grupo étnico majoritário na Califórnia

Em menos de um mês e meio, 39% dos californianos serão de origem latina, enquanto 38% serão brancos não-latinos

Uma norte-americana de origem boliviana, em foto de 2013.
Uma norte-americana de origem boliviana, em foto de 2013.J. MARTIN (AP)

A população hispana da Califórnia continua crescendo sem parar. No mês de março deste ano, eles ultrapassarão o número de brancos. Em menos de um mês e meio, 39% dos californianos serão de origem latina, enquanto 38,8% serão brancos não-latinos. É o que diz o relatório demográfico do projeto de orçamentos para o exercício 2014-2015 do Governador Jerry Brown. Desta forma, a Califórnia, o Estado mais povoado dos Estados Unidos, com mais de 37 milhões de pessoas, se somará ao Novo México (que faz fronteira com o México) como as regiões onde o mapa demográfico foi transformado.

Os hispanos registraram um crescimento espetacular, já que, há 25 anos, eles atingiam 26% da população, diante dos 57% dos brancos. Hoje são o grupo étnico majoritário no Estado, com uma média de 28 anos de idade, seguido dos brancos e dos asiáticos, estes representando 13% e que seguirão mantendo esta proporção ao longo dos próximos cinco anos. As estatísticas demográficas para Califórnia preveem que a população latina alcançará 50% em 2042, embora o índice de natalidade continue decrescendo.

O relatório reflete também o envelhecimento dos californianos. Nos próximos cinco anos, o número de residentes com mais de 65 anos de idade vai alcançar 20,7%, diante a um aumento de apenas 4,3 % entre a população economicamente ativa (entre 25 e 64 anos). Abaixo dessa faixa de idade, haverá uma queda de 4,5%.

Todas estas mudanças, tal e como se apontam no relatório, mexerão profundamente com o orçamento do Estado, “já que vão afetar os tipos de serviços e programas que uma população mais envelhecida e com rendas muito desiguais necessita”.

Também é apontado o fato de que “as futuras gerações vão ter que enfrentar novos desafios ao ser culturalmente mais complexas”. Agora mesmo existem na Califórnia 10 milhões de residentes nascidos fora dos EUA, a maioria na América Hispânica, embora no ano de 2011 o número de imigrantes asiáticos tenha crescido consideravelmente na América Latina.

O dado inquietante é que “a metade desses 10 milhões não completou a escola superior e representa uma desproporcionada quantidade de pessoas que vivem na pobreza”. O relatório aponta para “a baixa educação” e “o fato de não falar inglês”.

A isso deve ser somado o fato de que “cerca da metade das crianças californianas tem ao menos um dos pais nascidos fora dos EUA e um a cada quatro vive na pobreza”.

Estima-se que para meados de 2014 a população será de 38,5 milhões de habitantes e irá aumentando sucessivamente a cada ano, atraída pela prosperidade econômica do Estado. Em  2018, haverá 40 milhões de californianos.