Israel bombardeia Gaza depois da morte de um civil na fronteira

Ao menos uma pessoa, uma criança de quatro anos, morre depois de um ataque aéreo sobre a região

A tensão volta à fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza. A esta hora, o enésimo ataque custa a vida de um israelense de 22 anos e dois palestinos, um garoto de 18 e uma criança de quatro anos. O rebrote de violência começou nesta manhã, quando um atirador disparou contra um empregado civil do Ministério da Defesa de Israel que se encontrava consertando a cerca que separa a fronteira, muito estragada pelo temporal de duas semanas atrás. Um único disparo alcançou Salah Shukri Abu Latyef, um beduíno de Rahat que estava há um ano trabalhando no Ministério. Depois de dar entrada em estado grave no centro médico de Soroka em Beer Sheva, onde foi levado em um helicóptero, morreu na primeira hora da tarde.

De imediato, o primeiro-ministro israelense, Benjamín Netanyahu, emitiu um comunicado em que qualificava esta morte como um “incidente muito grave” e prometia uma resposta “forte”. “Não vamos deixar sem resposta. Até agora sempre nos dedicamos à antecipação e a responder com força e assim é como vamos atuar em relação a este caso”, advertiu. No momento do disparo, Netanyahu encontrava-se precisamente a um quilômetro da fronteira entre a Faixa de Gaza e a Palestina, em Sderot, onde destacava a tranquilidade da zona desde a Operação Pilar Defensivo, de novembro de 2012, quando Israel acabou acordando o cessar-fogo com Hamás, à frente do Governo de Gaza.

Só alguns minutos depois, o Exército de Israel informou sobre um ataque duplo contra a Faixa de Gaza. As autoridades de Gaza confirmam que foram bombardeados Jan Yunis e Deir El Balah; neste último município morreu uma criança de quatro anos como consequência do ataque. A agência Reuters sustenta que dois campos de treinamento de Hamás foram atingidos, informação não confirmada ainda por Israel nem pelo Governo palestino. A esta hora vários cidadãos de Gaza confirmam que não há aviões sobrevoando o território.

O outro morto palestino foi registrado também nesta tarde em um incidente separado, ao norte da faixa, em Beit Lahiya. Um jovem aproximou-se suspeitosamente da cerca de Israel, não atendeu aos apelos de aviso dos soldados – segundo o gabinete do Exército - e os soldados dispararam. O homem foi ferido no ventre e morreu no hospital.

Netanyahu perguntou-se nesta manhã inclusive se há uma nova Intifada, diante da sucessão de ataques de nacionalistas nos últimos dias: uma bomba em um ônibus ao sul de Tel Aviv, o lançamento de foguetes Qassam em Gaza, e o esfaqueamento, ontem, de um policial de trânsito perto de Ramala.

O mais visto em ...

Top 50