Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

Fiscalização nos estádios de Manaus e São Paulo é reforçada após mortes

Entre as mais de 60 medidas a serem cumpridas está a proibição a trabalhos na cobertura da arena Amazônia à noite, após um trabalhador despencar 35 metros no sábado

Trabalhadores cruzam os braços na Arena Amazônia na segunda.
Trabalhadores cruzam os braços na Arena Amazônia na segunda. REUTERS

O Ministério Público do Trabalho do estado brasileiro do Amazonas (região Norte) determinou o cumprimento de mais de 60 medidas de segurança nas obras da Arena Amazônia, estádio de Manaus, capital do Estado e que receberá quatro partidas da Copa do Mundo de 2014. Entre as iniciativas está a suspensão dos trabalhos na cobertura do estádio à noite.

No último sábado, o operário Marcleudo de Melo Ferreira, de 22 anos, morreu ao cair de uma altura de 35 metros quando trabalhava na instalação de refletores da arena em plena madrugada. O número de vítimas fatais em obras no perímetro da arena da Copa do Mundo em Manaus já chega a três, metade das registradas até agora nas construções ou reformas em estádios de todo o país para o evento.

No mesmo sábado, José Antônio da Silva Nascimento, de 49 anos, faleceu após passar mal ao subir em uma caçamba que levava os restos da obra que vai asfaltar o entorno do Centro de Convenções do Amazonas, que será usado pela Fifa como local de encontro e de reunião das delegações em Manaus.

Dentro de 30 dias, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Amazonas realizará uma nova fiscalização na Arena Amazônia. Caso haja descumprimento das obrigações, será cobrada multa de 20 mil reais por cada item irregular.

Entre as novas determinações a serem cumpridas pela Andrade Gutierrez, a construtora responsável pela obra, também está o fortalecimento da gestão para a prevenção de acidentes no canteiro de obras, incluindo a ampliação do quadro de profissionais de segurança do trabalho.

Após o acidente, a construtora lamentou em comunicado a norte de Marcleudo e afirmou estar prestando assistência aos familiares. A Andrade Gutierrez garantiu também ter aberto uma investigação interna para apurar o acidente.

Na segunda-feira, os operários da Arena Amazônia cruzaram os braços e fizeram uma manifestação em protesto contra as condições de segurança no trabalho. O Governo do estado do Amazonas afirmou em nota que não houve paralisação das atividades no estádio, a não ser nas obras em planos altos, que haviam sido interditadas no dia anterior. A liberação para esse tipo de atividade ocorreu apenas na nesta quarta-feira, após reunião entre autoridades judiciais do trabalho e a Andrade Gutierrez.

O Governo amazonense informou ainda que está acompanhando a situação na Arena Amazônia de perto e por meio de reuniões diárias com a construtora. A administração anunciou ainda que até a próxima semana deverá divulgar um novo cronograma de conclusão das obras, após uma avaliação detalhada dos prejuízos e dos impactos causados pelos recentes acontecimentos.

Manaus vai receber quatro partidas da Copa, todas na primeira fase. Entre elas está o confronto entre Inglaterra e Itália, em 14 de junho.

Antes do sorteio das chaves do torneio, o técnico da Inglaterra, Roy Hogdson, criou polêmica ao dizer que preferia ficar no grupo da morte do que jogar na cidade, conhecida pelo clima quente e úmido. Acabou ficando com os dois, já que seu time também ocupa a mesma chave que os campeões mundiais Itália e Uruguai, além da Costa Rica.

Arena Corinthians

Em São Paulo, a construtora Odebrecht também acertou um termo de compromisso com o Ministério  do Trabalho sobre os procedimentos a serem tomado na obra do estádio Corinthians, em São Paulo, depois que dois trabalhadores morreram, no dia 27, devido à queda de um guindaste. Foram proibidas as horas extras de operadores dos guindastes, exigida a segurança complementar para quem atua na cobertura no horário noturno, o aumento do número de trabalhadores na obra, além de outras medidas que visam garantir o andamento da construção.

O compromisso deve ser cumprido até o dia 31 de janeiro do ano que vem, ou a construtora será multada em 10 mil reais por dia. As exigências foram estabelecidas depois da visita de técnicos do Instituto de Pesquisa Tecnológica, ligado à Universidade de São Paulo.

A Arena Corinthians deve receber o jogo de abertura da Copa entre Brasil e Croácia, no dia 12 de junho.Outras três partidas estão previstas no local: Uruguai e Inglaterra, Coréia do Sul e Bélgica, e Holanda e Chile.