Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

Felipão diz que europeus terão adaptação mais complicada para a Copa

Treinador da seleção brasileira comemora estreia diante da Croácia.

"Não tem grupo fácil. O sorteio indicou e a gente tem que se preocupar em passar", diz.

Técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, pouco antes do sorteio da Fifa.
Técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, pouco antes do sorteio da Fifa. AFP

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, afirmou nesta sexta-feira, após o sorteio dos grupos da primeira fase da Copa do Mundo, que é muito positivo ter pela frente uma equipe europeia na primeira rodada, devido a uma adaptação mais complicada ao Brasil. O jogo inicial de Felipão marcará a abertura do Mundial, contra a Croácia, no dia 12 de junho, na Arena Corinthians, em São Paulo.

“É importante que (a equipe) saia muito bem, em uma competição com três jogos (na primeira fase). Sempre é melhor estrear contra uma seleção europeia, porque eles têm também um tempo de adaptação ao Brasil. O primeiro jogo é equilibrado, mas conhecemos como ninguém o nosso país, então, para nós é um pouco melhor”, afirmou, em entrevista à TV Globo.

O treinador ainda avaliou o futebol croata como “diferente, muito bem jogado, bonito”. Sobre os outros adversários do grupo, incluindo o México, que recentemente bateu o Brasil na final dos Jogos Olímpicos de Londres, Felipão disse integrar um dos grupos “bem diferentes” da Copa. “O México é tradicional, sempre é um adversário muito difícil, e Camarões tem algumas proezas na Copa”.

“Não tem grupo fácil. O sorteio indicou e a gente tem que se preocupar em passar”, acrescentou.

Outro técnico dono de um título mundial também comentou nesta sexta-feira os resultados do sorteio. O espanhol Vicente del Bosque destacou a necessidade de se estar preparado desde o primeiro dia. Ele parecia feliz pela escolha das sedes, porque a Espanha evitou as consideradas mais perigosas por causa do calor e da umidade. Disputará seus primeiros jogos em Salvador (Nordeste), Rio de Janeiro e Curitiba (Sul).

"Vamos ter de nos preparar desde o primeiro dia. É bom também para a mentalidade. Quando há rivais mais fracos nos custa nos concentrar. A Holanda vai exigir de nós", disse o treinador à emissora Quatro pouco depois do término do sorteio.

"Não podemos presumir que seja um grupo fácil, é complicado", completou. "Mas há outros grupos muito fortes, como o de Uruguai, Inglaterra, Itália e Costa Rica. Não somos os únicos." Para o treinador, nenhuma das seleções de seu grupo, completado pela Austrália, é fácil: "O Chile tem um futebol muito incômodo para os rivais (...), jogadores experientes. A Holanda, sabemos que mudou um pouco, mas mantém Robben, Sneijder, Van Persie... Seguem sendo muito perigosos. E a Austrália se classificou no grupo asíatico e certamente que será complicada".

Para o treinador da Holanda, Louis van Gaal, tão perigoso é o grupo B como o cruzamento que lhes espera com o grupo A, o do Brasil. E a Espanha? "Para nós, a Espanha é um desafio, o Chile é também uma boa equipe e nosso histórico contra a Austrália é muito ruim. Não é nosso grupo favorito. Mas tenho sempre confiança", acrescentou o treinador, que, meio brincando, meio sério, afirmou que espera que a Espanha não chegue ao Mundial "em sua melhor forma".