10 viagens para viciados em chocolate

Do mestre belga criador do praliné a um parque temático dedicado ao chocolate nos Estados Unidos

De uma plantação no sul de Belize que continua elaborando o cacau conforme a tradição maia até o toque chique do Salão do Chocolate de Paris, ou um parque temático dedicado ao chocolate em Hershey (Pensilvânia). Dez destinos imprescindíveis para os amantes do doce mais universal.

01 Arte e desenho

BÉLGICA

Os belgas gostam do chocolate quase tanto como da cerveja. Na Bélgica são fabricadas 172.000 toneladas por ano, vendidas em mais de 2.000 lojas. E não é qualquer chocolate; em Flandes vivem alguns dos chocolateiros mais criativos do planeta. O chocolate está em constante evolução neste país, com mestres que misturam e combinam sabores como o cigarro puro, a couve-flor, a ervilha, o chili ou o wasabi. Entre os fabricantes mais populares estão Leonidas -o criador do praliné que comemora neste ano o centenário de seu nascimento- Neuhaus y Galler.

Recomendam-se especialmente as chamativas criações de Hans Burie em Amberes (Korte Gasthuisstraat, 3) e os produtos de inspiração oriental de Laurent Gerbaud em Bruselas (Centre Dansaert, Rue d’Alost, 7).

02 O país do chocolate

GHANA

A próxima vez que você comer chocolate deve pensar em Tetteh Quarshie, possivelmente o homem que mais contribuiu à produção moderna deste doce. Ele trouxe sementes da árvore do cacau da ilha de Fernando Pó em 1876 e as plantou em Mampong, convertendo Ghana em um dos principais exportadores de cacau (ainda produz 21% do cacau mundial).

Recomenda-se visitar a granja Quarshie, a principal plantação de cacau de Ghana.

03 Chocolate à antiga

SUL DE BELIZE

No começo existia a vagem, e a vagem era boa… Antes de Cristovão Colombo perder o rumo do caminho da Indonésia, os maias comiam xocolatl e kukuh, bebidas amargas e especiarias elaboradas com as favas do cacau. Hoje, os produtores de cacau de Belize têm uma nova motivação nas suas vidas graças a Green & Black’s, cujos tablets Maya Gold se baseiam na receita de kukuh . Deve-se visitar a plantação de Cyrila Chocolate para provar o chocolate à antiga.

A visita à plantação de Cyrila pode ser feita com a Toledo Cacao Growers Association.

04 Paraíso inglês para viciados em chocolate

BOURNVILLE (INGLATERRA)

Embora não seja a fábrica de Willie Wonka (a personagem de Charlie e a fábrica de chocolate de Roald Dahl), o Cadbury World de Bournville, em Birmingham, permite babar diante de grandes cubas de delícia líquida e observar tabletes correrem para as máquinas que os empacotam. A fábrica de 1879 foi revolucionária; graças à popularidade (e disponibilidade) do cacau, a família Cadbury transladou sua produção do centro da cidade às periferias, construindo uma minicidade que proporcionava hospedagem, educação e aposentadoria a seus trabalhadores.

O Cadbury World está a 15 minutos a pé da estação de trem de Bournville (Inglaterra).

05 O primeiro chocolate sólido…?

TURIM (ITÁLIA)

Desde que o duque Filiberto apresentou à corte turinesa a doce bebida dos aztecas, descoberta durante a conquista da América no século XVI, a cidade italiana se tornou devota do chocolate; dizem que foi aqui onde no final do século XVIII se conseguiu a transformação do chocolate para o estado sólido. Suas grandes avenidas e praças estão lotadas de chocolaterias de qualidade, como a de Guido Gobino (Via Cagliari, 15b), mestre da gianduia, maravilhosa combinação de avelãs e chocolate que é um símbolo culinário de Turim desde 1867.

O Cioccolatò, a feira do chocolate de Turim, que dura três semanas, acontece em março.

06 Onde o chocolate subiu as montanhas

SUIÇA

Nos Alpes não se pode cultivar cacau, mas este país tem o maior consumo per capita de chocolate do mundo, e algumas das marcas mais famosas: Lindt, Nestlé, Suchard y Toblerone. A fama do chocolate suíço começa no século XIX graças a pioneiros como François Louis Cailler, Phillipe Suchard, Henri Nestlé, Jean Tobler, Daniel Peter ou Rodolphe Lindt. Calliers fundou a primeira fábrica de chocolate em 1819, perto de Vevey. Daniel Peter acrescentou leite em 1875 e Lindt inventou a máquina caracola, que arejava a massa enquanto a fazia dar voltas, permitindo assim que o chocolate derretesse na boca.

A fábrica de Nestlé-Callier, que fica perto de Gruyères, pode ser visitada. Também é possível comprar pralinés e trufas feitas à mão em alguma das lojas Sprüngli, a companhia que trabalha o cacau desde 1836. Também se pode viajar no Trem do chocolate – a bordo de uma carruagem da belle époque - até uma fábrica Callier em Broc, perto de Montreux; experimentar em San Galo (Gallusstrase, 20) o inigualável chocolate na caneca e as trufas de A Chocolaterie, ou visitar o museu do Cioccolato Alprose em Lugano (Via Rompada, 36), para prová-lo e conhecer sua história.

Há lojas Sprüngli em Zúrich, Basilea, Zug, Winterthur y Glattzentrum.

07 A avenida do chocolate

HERSHEY (PENSILVANIA, EUA)

Bem-vindos ao local mais doce da Terra (segundo eles). Esta cidade com aroma a chocolate, sede do império Hershey, é tão enjoativa como os filmes que fizeram com que as crianças de todas partes pedissem esta marca. A instituição criou um complexo de lazer associado ao chocolate. O ponto forte é o Hershey Park, com mais de 60 atrações, um zoo, um parque aquático, atuações e espetáculos de fogos artificiais. Também poderemos confeccionar nosso próprio tablete de chocolate no Hershey’s Chocolate Word, um simulacro de fábrica e loja com montanhas de chocolate grátis.

Claro que também pode ser visitado o museu dedicado ao senhor Hershey (63 West Chocolate Avenue).

08 Possivelmente, o melhor chocolate do mundo

ILHA DE GRANADA (CARIBE)

De Saint George, capital da caribenha ilha de Granada, deve-se dirigir pela nebulosa floresta do Parque Nacional Grand Etang até a zona de Saint Patrick, na costa norte, berço do que possivelmente seja o melhor chocolate do mundo. A minúscula Granada Chocolate Company fabrica tablets e cacaus premiados de maneira ética: as favas são cultivadas, coletadas, processadas e empacotadas na fábrica-casa familiar. Pode passear por entre as plantações de cacau e depois experimentá-lo. O chocolate dos supermercados nunca mais será o mesmo.

Grenada Chocolate Company fica em Hermitage, em St. Patrick.

09 Chocolate ‘chic’

PARIS

Viciados em chocolates, bem-vindos ao paraíso. As melhores criações estão nas lojas Maison du Chocolat, de Robert Linxe. Em qualquer chocolateria (como Chez Angelina) é possível tomar um lanchinho e se reservar uma aula de culinária com cacau na Escola de Gastronomia Lenôtre.

E a cada mês de outubro se organiza em Paris o Salon du Chocolat.

10 Chocolate crioulo

VENEZUELA

Os puristas sabem que a melhor variedade de cacau é o crioulo, com seu sabor persistente de baunilha, caramelo e nozes. Na Venezuela, na península de Paria (chamada a costa do Chocolate) se encontra a origem destas cobiçadas favas. As melhores são cultivadas em fazendas familiares como a Hacienda Bukare. A família Esser oferece visitas a sua plantação e saborosas provas. É uma fácil excursão desde o Rio Caribe: antes de chegar na praia, encontra-se esta plantação de cacau de cultivo ecológico (Chocolates Paria).

A Hacienda Bukare está mais acima do Rio Caribe; pela Praia Medina, Chacaracual.

Estas recomendações para viajar com o paladar por todo mundo e outras muitas estão no livro ilustrado Cocinas do Mundo (de Lonely Planet- GeoPlaneta). Mais informação em www.lonelyplanet.es

O mais visto em ...Top 50