Estes são os aplicativos mais baixados da década

Facebook lidera a lista, que inclui também suas companhias WhatsApp e Instagram

Jenny Kane / AP

Não há dúvida de que o escândalo da Cambridge Analytica, que mergulhou o Facebook em sua maior crise desde sua fundação, marcou a empresa, que também foi vítima da campanha #DeleteFacebook, na qual muitos usuários e também empresários e celebridades se propuseram a deixar a rede social. Mas o aplicativo ainda é o mais bem-sucedido nos últimos anos. Conforme publicado pelo serviço AppAnnie, que mede o sucesso de um aplicativo com base em seus downloads, o Facebook se tornou o aplicativo mais baixado de toda a década, e ainda colocou o restante de seus produtos entre os cinco primeiros, liderando o mercado de aplicativos.

Examinamos a lista dos aplicativos mais baixados da década que termina agora (embora a discussão sobre quando a década comece e termine seja sempre típica dos anos terminados em 9) em todo o mundo. A empresa oferece apenas os dados das posições de cada aplicativo, mas não os dados absolutos do número de downloads:

Facebook

O próprio aplicativo que gerencia a maior rede social do planeta foi o mais baixado de toda a década. Apesar da tempestade perfeita que parece ter envolvido a empresa por sua política frouxa de privacidade, a rede social de Mark Zuckerberg continua a crescer de maneira constante entre os usuários, ao mesmo tempo em que gera lucros gordos para seus acionistas. Parece que os usuários da rede recebem bem as reformas iniciadas para melhorar a privacidade ou simplesmente assumem que é o preço a pagar por aproveitar as vantagens da rede. Pelo menos até agora.

Facebook Messenger

A plataforma de mensagens do Facebook geralmente passa despercebida, mas em alguns países como os Estados Unidos é hegemônica. O Messenger é simples, direto, carregado de funções e, muitas vezes, a melhor maneira de entrar em contato com uma pessoa cujo nome não é conhecido. Essa segunda posição global em todo o mundo é sustentada e, como o aplicativo principal, não apresenta sinais de perda de usuários. Muito pelo contrário.

Whatsapp

O domínio esmagador do Facebook no mercado de aplicativos móveis continua com o WhatsApp, um aplicativo que não merece muitas explicações em mercados como o espanhol ou latino-americano, que se tornou o padrão de comunicação entre seus cidadãos. Surpreendentemente, exatamente nos Estados Unidos e em outros mercados da União Europeia, o uso dessa plataforma ainda é marginal. O WhatsApp veio para derrubar o SMS limitado e se estabeleceu como uma forma de comunicação através de mensagens, fotos, vídeos e, por algum tempo, chamadas e videochamadas.

Instagram

O WhatsApp e o Instagram não são produtos originários do Facebook, mas fazem parte do catálogo de produtos, graças às sucessivas aquisições que tornaram seus fundadores bilionários. Não se pode negar que Zuckerberg estava certo ao estender o talão de cheques, especialmente com o Instagram, uma plataforma que se tornou a fonte de receita com mais projeção no Facebook e com taxas de crescimento que continuam quebrando recordes.

Snapchat

Para ser sincero, grande parte do mérito do crescimento espetacular do Instagram se deve ao Snapchat, o aplicativo de fotos efêmeras que inauguraram esse tipo de produto que ainda está em alta entre os mais jovens. A abordagem inicial do Snapchat foi permitir que seus assinantes publicassem fotografias que pudessem ser vistas por seus seguidores por um período de tempo, e que depois desapareceriam. Bem, o Instagram Stories veio como uma cópia grosseira do Snapchat que, apesar de tudo, ainda resiste ao ataque e mantém um grande grupo de usuários.

Skype

Quem nunca usou o Skype? O produto da Microsoft segue ocupando lugar de honra entre a lista dos aplicativos mais baixados do planeta. Essa posição, no entanto, é um gosto agridoce para a empresa de Satya Nadella, que não aproveitou sua posição hegemônica e se consolidou como uma plataforma de comunicação, dando um espaço irrecuperável para seus rivais, Messenger e WhatsApp, principalmente. Esse relaxamento na liderança significou que o Skype não incorporou a criptografia necessária em suas comunicações, como seus rivais, e foi criticado por organizações como a Anistia Internacional.

TikTok

Uma das surpresas da lista é a aparição, no sétimo lugar, desse aplicativo chinês, o favorito agora de muitos adolescentes, mas que foi lançado em 2014, muito mais tarde que o restante dos serviços que aparecem na lista. Recentemente, o Reino Unido se juntou aos Estados Unidos na investigação da aplicação de vídeos pelo uso dos dados de seus usuários menores.




Mais informações