Tribuna
São da responsabilidade do editor e transmitem a visão do diário sobre assuntos atuais – tanto nacionais como internacionais

Como usar cartão de crédito sem ficar no vermelho (e ainda comprar o que quer!)

O dinheiro de plástico é um dos maiores responsáveis pelo endividamento das pessoas. Mas não precisa ser: confira dicas para escapar das enrascadas

Mais informações

Você sabia que o cartão de crédito é um dos maiores responsáveis pelo endividamento das pessoas? E é um dos meios de pagamento que mais tem deixado os brasileiros em dificuldade financeira neste período de pandemia. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio mostra que praticamente sete a cada dez famílias têm dívidas. É um recorde, registrado no último mês de julho. A mesma pesquisa mostra que pelo menos 26,3% famílias contam com boletos em atraso. Ou seja, elas têm dívidas mas não são pagas.

Isso acaba refletindo na necessidade do crédito para as famílias, principalmente as de menor poder aquisitivo. É aqui que entra o cartão, uma tentação para fazer as compras quando a grana está curta. Na verdade, o cartão dá uma sensação de que temos dinheiro, podemos gastar, e que um dia a gente se vira pra pagar. Você vai acumulando as faturas, pagando o mínimo que precisa, até que em algum momento aquela dívida que era de 500 reais virou 2.000 e você não tem a menor ideia de como resolver isso.

O fato é que as pessoas não se organizam para acertar as contas no final do mês. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostraram em um estudo feito em todas as capitais que 45,8% dos entrevistados não realizam um controle do seu orçamento, sendo que 29,3% o fazem apenas ‘de cabeça’.

E tem como domar o cartão de crédito e usá-lo a favor do seu orçamento? Tem. Seguem aqui algumas dicas que podem te ajudar a administrar melhor o uso do crédito ao seu favor!

DICA 1: A regra das três perguntas

A primeira dica é que antes de fazer qualquer compra com o cartão de crédito, você vai se fazer três perguntas:

1. Tem como pagar à vista?

2. É urgente?

3. Eu consigo juntar o dinheiro para comprar à vista?

Se você tem como pagar à vista, se não é urgente e se você consegue juntar dinheiro para pagar tudo de uma vez, não tem motivos para você usar o cartão de crédito neste momento. É muito mais tentador passar ele do que ficar juntando dinheiro picado todo mês, mas a questão é o ciclo vicioso do cartão sabe?

Você pode achar que o cartão de crédito é o seu dinheiro, mas não é!

DICA 2: Nem tudo dá para passar no cartão de crédito

Vejo muita gente utilizando o cartão de crédito PARA TUDO. Eu sei que tem gente que usa para milhas, trocar prêmios e tal. Mas para isso você precisa, primeiro, possuir um limite alto. Segundo, usar o cartão de crédito para tudo, e, terceiro, às vezes ganhar mais de 2 salários mínimos para obter confiança dos bancos ou instituições financeiras de crédito para que você consiga pagar aquele valor da fatura.

E pra quem é baixa renda?

Geralmente são limites baixos. Por isso eu recomendo utilizar o cartão de crédito para emergências.

Sua geladeira queimou e você precisa de uma nova? Usa o crédito!

Mudou de casa e o fogão antigo não serve para a cozinha nova? Usa o crédito!

Notebook ficou ruim? Usa o crédito!

Ele deve ser usado, principalmente, para fazer compras de bens duráveis e que são muito caros para pagar à vista. Fogão e geladeira são itens que você não pode deixar de ter na sua casa. É uma necessidade básica!

O notebook você precisa para o seu trabalho, então entra como uma emergência porque sem ele não tem trabalho e sem trabalho, sem dinheiro.

Mas o tênis que está na moda e o pão na chapa que você quer comer antes de ir para a faculdade ou para a balada precisam entrar na sua programação financeira do mês e não usar o crédito para isso.

DICA 3: Cuidado com a quantidade de parcelas!

É muito tentador pagar uma compra em 12 parcelas de 50 reais. Ela pesa muito menos no seu orçamento e você quase não sente. Mas se você tiver quatro compras que estão parceladas no seu cartão o que era 50 reais já virou 200! A parcela da geladeira juntou com a parcela da blusinha, que juntou com a parcela da televisão, e ainda tinham as últimas parcelas do liquidificador que você tinha esquecido.

Eu sei que muitas vezes é difícil não usar esse recurso de pagar uma compra em muitas vezes, mas quanto mais você prolonga esse pagamento, mais você vai se enrolar ao longo dos meses.

Parcele no máximo de três a quatro vezes a compra que você vai fazer.

Se você ainda tiver a possibilidade de juntar uma parte do dinheiro para poder diminuir o número das parcelas, melhor ainda!

DICA 4: Nunca pague o mínimo da fatura!

Poder pagar só uma parte da fatura do cartão de crédito é uma das maiores armadilhas que a gente pode cair. Como você tem a possibilidade de pagar só uma parte de tudo que você gastou, parece que essa conta nunca vai chegar. Mas uma hora ela chega!

São os famosos juros rotativos.

O rotativo é um tipo de crédito que pode ser oferecido aos clientes que não conseguem pagar a fatura do cartão por inteiro. Quando você paga uma quantia menor que o total da fatura, o valor restante entra na fatura seguinte, e são cobrados juros sobre essa diferença. Na prática, entrar para o rotativo significa que você está pagando juros em cima do valor que não conseguiu quitar.

Mas aí entra uma questão para se prestar atenção: os juros do rotativo estão entre os mais caros do mercado. A média da taxa do rotativo é divulgada todo mês pelo Banco Central. Em março de 2019, ela chegou a 298,6% ao ano.

Com as novas regras do cartão de crédito (de 2017), só é possível usar o crédito rotativo uma vez por mês. Isso porque o Conselho Monetário Nacional (CMN) exige dos bancos a obrigatoriedade de transferir essa dívida para o crédito parcelado, que é uma opção com juros menores.

DICA 5: Cuidado com o ciclo vicioso do cartão

Chegou o final do mês e todo dinheiro que você tem na conta vai servir só para pagar a fatura do cartão de crédito, certo? E aí, o que você faz? Usa o cartão de crédito de novo no mês seguinte! A dica 5 é fugir desse ciclo vicioso!

O cartão não deve ser uma extensão do seu salário ou um jeito de empurrar os pagamentos para o futuro. Se você não tem dinheiro para pagar a fatura integralmente, isso é um sinal de que você está gastando mais do que deveria.

E é aí que vem a dica 6!

DICA 6: Controle suas finanças!

Não importa se você vai usar um aplicativo no celular, uma planilha no Excel ou um grupo no whatsapp com você mesmo. O importante é você se organizar! Eu vou deixar disponível uma planilha bem fácil para você. É super fácil de preencher e você aprende a usar rapidinho.

Às vezes, não queremos nos organizar por achar super difícil, mas na verdade pode ser a forma como você está usando para se organizar.

A planilha pode ser uma boa opção para quem já sabe o intermediário de Excel, se você não curte muito, faça numa folha de caderno mesmo, ou um aplicativo de finanças.

Não precisa detalhar TODAS as categorias, porque é aí que você desiste de anotar suas finanças. Coloque o que você acha que resume aquele gasto.

Por exemplo: Você paga luz, Internet, supermercado e a feira.

Você acha mesmo que é melhor separar cada um como: Alimentação, luz, Internet?

Você pode resumir esses gastos na sua planilha em uma categoria como: Custos variáveis ou Moradia, mas claro, detalhando quanto custa cada um.

Quando você enxerga o que você recebe e a maneira como você gasta seu dinheiro, você consegue tomar decisões melhores com relação ao que comprar e quando comprar!

DICA 7: Controlar o limite do cartão de crédito!

Tem muitos bancos que deixam você controlar qual o limite máximo que você vai usar. Por mais que você tenha um valor alto liberado de crédito, a dica 7 é diminuir o limite do valor máximo de crédito disponível para que você não comprometa seu orçamento.

Em alguns bancos você consegue fazer pelo próprio aplicativo e em outros talvez você tenha que ir até uma agência! Mas não deixe de fazer isso para garantir que nada saia do seu controle.

DICA 8: Bloqueie o cartão virtual quando você não utilizar

No momento que estamos passando onde muita gente fica em casa, compra-se um pouco mais pela Internet. Mas aí precisamos lembrar que aumentaram o número dos crimes cibernéticos, principalmente com o cartão de crédito. Imagina a dor de cabeça você ligar para o banco para explicar que clonaram o seu cartão?

Nos aplicativos dos bancos, principalmente os digitais, é possível bloquear o cartão de crédito e desbloquear tranquilamente, não afeta o seu limite e ainda dá uma proteção a mais a você. Porque se alguém clonar o seu cartão, a compra que o golpista fez não irá ser realizada pois você bloqueou o cartão.

É mais uma forma de se proteger e evitar problemas e dores de cabeça depois.

Seguindo essas dicas, eu tenho certeza que você vai conseguir usar o cartão de crédito com consciência e a seu favor. Ele é um recurso incrível se a gente souber usar direitinho!

Nath Finanças é uma criação de Nathalia Rodrigues, 21 anos, youtuber de educação financeira para baixa renda.

Faça seu login para seguir lendo

Saiba que já pode ler este artigo, é grátis

Obrigado por ler o EL PAÍS

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: