_
_
_
_

Segundo atentado seguido em uma mesquita xiita no Afeganistão mata pelo menos 40 pessoas

Na sexta-feira passada, o Estado Islâmico assumiu a responsabilidade por um ataque semelhante que matou 50 fiéis deste mesmo grupo em Kunduz

Ángeles Espinosa
Membros do Talibã reunidos perto da mesquita xiita em Kandahar, onde as explosões ocorreram nesta sexta-feira.
Membros do Talibã reunidos perto da mesquita xiita em Kandahar, onde as explosões ocorreram nesta sexta-feira.JAVED TANVEER (AFP)

Várias explosões sucessivas deixaram pelo menos 40 mortos e quase uma centena de feridos em uma mesquita xiita em Kandahar, a principal cidade do sul do Afeganistão. Tudo indica que se trata de um novo ataque suicida do Estado Islâmico contra essa minoria, embora ninguém ainda tenha assumido a responsabilidade. Testemunhas citadas pelo canal de televisão ToloNews garantem que houve três explosões na mesquita Imam Bargah, uma das maiores em Kandahar.

O ataque, que analistas atribuem a um braço local do Estado Islâmico (ISIS-K), ocorreu durante a oração semanal ao meio-dia de sexta-feira, quando os locais costumam estar lotados. As primeiras imagens divulgadas por alguns dos presentes nas redes sociais mostram vários corpos deitados no chão com roupas ensanguentadas. Desde que o Talibã assumiu o Governo de Cabul em 15 de agosto, o ISIS-K retomou suas atividades terroristas tanto contra o novo poder como também contra a minoria xiita cuja adesão ao Islã eles não reconhecem.

As forças especiais do Talibã chegaram ao local para investigar o incidente. “Nossas informações iniciais indicam que um bombista suicida explodiu dentro da mesquita”, disse um funcionário talibã local, que não queria revelar sua identidade, à agência de notícias France Presse.

“Até agora confirmamos 40 mortos e cerca de 75 feridos, mas o número real é maior porque alguns parentes levaram as vítimas para casa e as vítimas ainda não foram contadas”, disse Muqtada Miran, membro do parlamento de Kandahar, à agência de notícias Efe. Miran, que participou do esforço de resgate, disse que no hospital provincial de Kandahar e em outros hospitais privados “os médicos estão fazendo o seu melhor para salvar vidas”.

Na última sexta-feira, um homem-bomba do grupo matou cinquenta fiéis xiitas em Kunduz, cidade do norte do país. Porta-vozes do Talibã se gabam de trazer segurança ao país. No entanto, aqueles que questionam a capacidade dos fundamentalistas de proteger os afegãos estão crescendo quando são incapazes de evitar um ataque na cidade que historicamente tem sido seu reduto. Kandahar caiu nas mãos do grupo terrorista dois dias antes da capital em uma ofensiva relâmpago.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_