Demi Moore

Demi Moore reaparece após desfile que causou polêmica sobre seu rosto

Atriz concede entrevista a Naomi Campbell depois de desfilar como modelo para a Fendi e afirma, contente, que “realizou uma fantasia adolescente”

Demi Moore vestida pronta para entrar na passarela em que a Fendi apresentou sua coleção de alta costura em Paris em 27 de janeiro.
Demi Moore vestida pronta para entrar na passarela em que a Fendi apresentou sua coleção de alta costura em Paris em 27 de janeiro.STEPHANE DE SAKUTIN / AFP

Mais informações

As passarelas de moda, em especial as de alta-costura, são uma vitrine comercial, mas também uma fantasia para fazer a indústria e os consumidores sonharem. Nesse afã de atrair olhares e continuar alimentando o negócio, as grifes tiveram de fazer malabarismo neste ano para dar espetáculo em tempos de pandemia e sem presença de público em seus desfiles. A Fendi se propôs a criar surpresas e fez isso com um desfile em que a coleção que marcou a estreia de Kim Jones como seu diretor criativo brilhou por sua apresentação, mas também por algumas das estrelas que estiveram na passarela. As supermodelos Kate Moss e Naomi Campbell estiveram lá, mas foi a atriz Demi Moore ―que deixou pela primeira vez na vida o papel de espectadora de primeira fila para ser modelo por um dia― que conseguiu que a Fendi viralizasse.

Exibindo um espetacular traje preto, com um decote ombro a ombro e grandes e sofisticados brincos, a atriz pisou na passarela para tornar realidade um dos sonhos de sua vida, como confessou em uma conversa com Naomi Campbell no programa de entrevistas que a modelo tem no YouTube, No Filter With Naomi. O problema é que a participação de Demi Moore na passarela deu a volta ao mundo não tanto pelo modelo que vestiu, mas pelo aspecto de seu rosto, com pômulos e lábios muito marcados ―segundo os comentários que proliferaram nas redes sociais―, que provocaram um debate global sobre os excessos dos retoques estéticos.

A atriz, longe de tocar nesse assunto ou mostrar um pingo de dúvida sobre os efeitos de sua decisão de se tornar modelo ocasional, disse a Campbell como se sentiu feliz, e no vídeo da conversa seu rosto se vê natural, com pouca maquiagem, longe do efeito chocante que causou tanta controvérsia quando foram vistas as imagens do desfile. “Não percebi, até terminar de desfilar, que tinha acabado de realizar uma fantasia adolescente”, assinalou Moore sobre sua aparição na Paris Fashion Week. “Tive de parar para pensar antes de assimilar que tinha pisado em uma passarela acompanhada das modelos mais importantes da história”, acrescentou, durante sua conversa com Campbell.

Durante o encontro, Moore garantiu que repetiria a experiência sem pensar duas vezes e destacou que, depois de ter aberto o desfile da Fendi, descobriu que a apresentação de coleções de moda é muito mais do que simplesmente exibir roupas. “Achei muito especial, porque não senti que tudo estivesse centrado em mostrar algumas peças de roupa, e sim em contar uma história completa. Foi mágico e comovente para mim. Uma coisa memorável”, confessou a atriz à modelo-entrevistadora.

A variedade das modelos escolhidas para o evento também foi objeto de análise durante o bate-papo de Moore e Campbell, no qual compartilharam suas reflexões sobre o momento que a moda vive para se adaptar à necessidade de refletir os diferentes tipos de beleza, superando os estereótipos que a indústria impôs durante anos. Demi Moore disse que ficou comovida por participar de algo que percebeu como familiar e inclusivo. Uma emoção que resumiu dizendo: “Eu me senti como uma garotinha.”

Naomi Campbell também contribuiu com sua visão sobre esse desfile, realizado em um momento singular devido ao coronavírus: “Embora não houvesse público presente, senti que as pessoas estavam lá. Não senti nenhuma diferença em relação a outros desfiles em que trabalhei”, disse a modelo. “Acredito que também ajudou muito a forma como foi montada a cenografia da passarela, com cada uma de nós tendo nossas próprias caixas transparentes. De qualquer forma, aquele labirinto de vidro não nos deixaria ver o público”, concluiu Naomi.

Se as críticas nas redes sociais afetaram a atriz em algum momento, parece que sua resposta foi exibir-se como é, pouco maquiada e emocionada com a experiência que viveu em Paris. Voltar a mostrar a cara como melhor resposta para as especulações e polêmicas desencadeadas por sua breve aparição na passarela.

A atriz já falou várias vezes, sem rodeios, sobre os problemas de autoestima que teve. Na década de 1980, Demi Moore, que é mãe de três filhas, Rumer, Scout e Tallulah, teve de se internar em um centro para se reabilitar do vício em drogas e álcool. A história se repetiu em 2012, depois de chegar a desmaiar após meses de festas e distúrbios alimentares que provocaram uma preocupante perda de peso. Depois dessa segunda reabilitação, a atriz reconheceu abertamente seus problemas e chegou a se despir emocionalmente em um evento público para mostrar que é possível superar essas fases difíceis da vida: “Durante anos, estive em uma espiral de autodestruição”, disse. “Por mais bem-sucedida que fosse, simplesmente eu nunca me senti suficientemente boa, suficientemente bem”, afirmou a atriz.

Moore conseguiu sair de sua crise graças à ajuda de seus entes queridos, que marcaram sua reconstrução, como ela mesma reconheceu. Também admitiu que suas prioridades mudaram. A beleza, incluindo cirurgias estéticas, já não é uma delas. A atriz declarou que prefere um estilo de vida centrado na saúde para ela e sua família: “Meus relacionamentos são mais importantes, e o que eu faço fica em segundo plano”, disse ela em um encontro da Goop Health durante uma conversa com Gwyneth Paltrow e Arianna Huffington.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50