Boxeadores brasileiros fazem história na Olimpíada de Tóquio e brigam pelo ouro em duas finais

Bia Ferreira é a primeira pugilista do Brasil a se classificar para uma final na modalidade feminina, no peso leve. No ringue masculino, Hebert Conceição avança à disputa pelo 1º lugar no peso médio

Beatriz Iasmin Ferreira após se classificar para a disputa de ouro.
Beatriz Iasmin Ferreira após se classificar para a disputa de ouro.UESLEI MARCELINO (Reuters)
Mais informações
Tokyo 2020 Olympics - Athletics - Men's Pole Vault - Final - Olympic Stadium, Tokyo, Japan - August 3, 2021. Thiago Braz of Brazil in action REUTERS/Aleksandra Szmigiel
Thiago Braz conquista o bronze no salto com vara, sua segunda medalha consecutiva numa Olimpíada
Tokyo 2020 Olympics - Open Water Swimming - Women's 10km - Final - Odaiba Marine Park - Tokyo, Japan - August 4, 2021. Ana Marcela Cunha of Brazil celebrates winning gold after the race. REUTERS/Leonhard Foeger
Ouro merecido para a baiana Ana Marcela Cunha na maratona aquática da Olimpíada de Tóquio
05 August 2021, Japan, Tokyo: Brazil's Pedro Barros celebrates his silver medal bronze at the award ceremony for the Men's Skateboarding Park final at the Ariake Urban Sports Park, as part of the Tokyo 2020 Olympic Games. Photo: Marijan Murat/dpa
05/08/2021 ONLY FOR USE IN SPAIN
Brasil se confirma como ‘fábrica de skatistas’ e Pedro Barros fatura a prata no skate ‘park’ em Tóquio

Da Bahia para o topo do pódio olímpico no Japão. O boxe brasileiro fez história nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, na madrugada desta quinta-feira e, pela primeira vez, classificou dois pugilistas em duas finais diferentes em uma mesma Olimpíada. A soteropolitana Beatriz Ferreira, 28 anos, é a primeira brasileira a disputar o ouro olímpico na modalidade. A campeã mundial do peso leve (até 60kg) se classificou para a final da categoria ao derrotar a finlandesa Mira Potkonen por decisão unânime dos juízes. Já o também baiano Hebert Conceição se classificou à final no peso médio masculino (até 75kg) ao derrotar o russo Gleb Bakshi, atual campeão mundial, por decisão dividida (4:1).

Baile de Favela é a trilha do sucesso brasileiro em Tóquio. Ao som do funk, Bia Ferreira foi dominante durante toda a luta. “Eu quero [a medalha] dourada, vou brigar até o fim. Vamos adiante, vamos subir no pódio, ficar no lugar mais alto e ouvir o nosso hino. Vai ser difícil tirar ela de mim. Treinei o tempo todo pra isso”, afirmou a brasileira após se classificar para a final, dando um show atrás do outro de talento e carisma no Japão.

A pugilista agora irá disputar o ouro contra a irlandesa Kellie Anne Harrington na madrugada de domingo (8) às 2h (horário de Brasília). O melhor resultado de uma brasileira no boxe havia sido a medalha de bronze de Adriana Araújo em Londres 2012, quando houve a primeira disputa feminina no ringue nas Olimpíada.

Uma hora depois da vitória de Bia Ferreira, Hebert Conceição também cravou sua ida à final olímpica e agora vai enfrentar o ucraniano Oleksandr Khyzniak na briga pelo ouro, marcada para a madrugada de sábado (7) às 2h45 (horário de Brasília). “Estou muito feliz com minha classificação pra final, com meu desempenho. É pouco tempo pra poder pensar e descansar. É só tirar o peso, aproveitar um pouquinho com a família, com os amigos, responder algumas mensagens, mas voltar logo para o foco, porque o ouro nunca esteve tão próximo, e agora é hora de abraçar essa oportunidade, fazer meu máximo, deixar toda minha energia dentro do ringue para poder buscar mais uma medalha de ouro para o Brasil”, comemorou o lutador.

Antes da dupla, Abner Teixeira (91kg) já havia conquistado uma medalha de bronze para o Brasil após chegar as semifinais do torneio. Embora tenha perdido para o cubano Julio César de La Cruz, no boxe olímpico os dois semifinalistas derrotados terminam em terceiro lugar.

O Brasil supera assim seu desempenho nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, quando conquistou três medalhas (dois bronzes e uma prata). Na Rio 2016, o também baiano Robson Conceição foi ouro no peso leve. “A Bahia é a Cuba brasileira”, disse o campeão olímpico à época. Se alguém tinha dúvidas de que o Estado é uma potência no boxe, não tem mais.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui



Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS