Baiyin

Morrem por hipotermia 21 corredores de uma ultramaratona de montanha na China

Os 172 participantes da prova, que ocorreu perto da cidade de Baiyin, na província de Gansu, foram surpreendidos por granizo, chuva congelante e ventos fortes

Equipes de resgate trabalham em Baiyin (China) para ajudar os participantes da ultramaratona.
Equipes de resgate trabalham em Baiyin (China) para ajudar os participantes da ultramaratona.STRINGER / Reuters

Mais informações

Vinte e um corredores de uma ultramaratona de 100 quilômetros na China morreram de hipotermia neste domingo após serem surpreendidos por granizo, chuva congelante e ventos fortes, de acordo com a mídia estatal. Os outros 151 participantes da corrida de montanha estão sãos e salvos, de acordo com a agência de notícias oficial Xinhua, segundo a qual 172 pessoas participavam da corrida.

A última vítima foi encontrada às 9h30, horário local, mas “já havia perdido a vida”, relatou a emissora de televisão CCTV, citando o centro de primeiros socorros local. “Isso implica que o incidente causou um total de 21 mortes”, acrescentou a CCTV. Entre os mortos na tragédia estão dois veteranos da maratona nacional, Liang Jing e Huang Guanjun, informa a imprensa local, citando o terinador do primeiro, Wei Pulong, e um amigo deste último, que afirmou que a morte foi confirmada pelos organizadores da prova. Liang ganhou várias maratonas na China nos últimos anos. Huang, que era surdo e mudo, venceu a maratona masculina para deficientes auditivos nos Jogos Paralímpicos Nacionais de 2019, em Tianjin.

A ultramaratona foi disputada no parque florestal de pedras do Rio Amarelo, próximo à cidade de Baiyin, na província de Gansu. Oito dos participantes foram tratados no hospital por ferimentos leves, relatou o prefeito de Baiyin, Zhang Xuchen. “Por volta do meio-dia, a seção de alta altitude da corrida, entre os quilômetros 20 e 31, foi repentinamente afetada por condições climáticas desastrosas. Em pouco tempo, granizo e chuva congelante caíram repentinamente sobre a área, e houve fortes ventos. A temperatura caiu drasticamente“, explicou Zhang Xuchen. Pouco depois de receber ligações de alguns participantes pedindo ajuda, os organizadores da maratona enviaram uma equipe de resgate que conseguiu salvar 18 corredores, acrescentou.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

“Este é um incidente de segurança pública causado por mudanças repentinas no clima em uma região local”, disse o prefeito, acrescentando que as autoridades provinciais investigariam minuciosamente as causas. Mais de 700 equipes de resgate se mobilizaram para procurar os desaparecidos. Imagens da mídia local mostraram equipes de resgate com faróis escalando o terreno rochoso à noite. Os corredores da ultramaratona foram embrulhados em cobertores de emergência. “Todo o meu corpo ficou encharcado, incluindo os sapatos e as meias. Não conseguia ficar de pé por causa do vento, tinha muito medo de que me levasse embora. O frio estava ficando cada vez mais insuportável “, declarou um sobrevivente à imprensa local.

A temperatura continuou a cair à noite, tornando os esforços de resgate e a busca de desaparecidos ainda mais difíceis, segundo a Xinhua. Gansu, uma das regiões mais pobres da China, faz fronteira com a Mongólia ao norte e com Xinjiang a oeste. No passado, esta província foi atormentada por inundações e deslizamentos de terra. Os deslizamentos causaram mais de 1.000 mortes em uma cidade da região em 2010. O local também é suscetível a terremotos. A floresta de pedras do Rio Amarelo é conhecida por sua paisagem montanhosa acidentada, marcada por estalagmites e pilares de pedra, e costuma ser o cenário de muitos programas de televisão e filmes chineses, de acordo com o China Daily. Maratonas e esportes radicais se tornaram populares entre a classe média chinesa nos últimos anos. As maratonas chinesas, no entanto, costumam ser marcadas por escândalos. Em 2018, por exemplo, mais de 250 corredores foram desclassificados da Meia Maratona de Shenzhen por usar números falsos ou pegar atalhos.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50