Astronomia

Onde e quando ver a última superlua do ano

Às vezes, para esquecer os problemas, é bom olhar para o céu noturno e se assombrar com as maravilhas que ele nos proporciona. Como uma grande “Lua de Morango”

Getty Images

Mais informações

A terceira e última lua cheia de 2021 pode ser vista a partir desta quinta-feira à noite (24 de junho) em todo o mundo. Será o primeiro grande evento astronômico do inverno, apenas três dias após o solstício. De acordo com a agenda astronômica do National Geographic Institute, o satélite entrará na fase de lua cheia às 20h40 na constelação de Capricórnio. A estrela aparecerá nos céus brasileiros por volta das 18h30, no horário de Brasília. O fenômeno perdura até sábado ―na sexta, poderá ser visto a partir de 19h30, e, no dia seguinte, depois das 20h37.

Toque a lua

A lua cheia coincide com o momento de máxima aproximação entre a Lua e a Terra, que é conhecido como perigeu, porque sua órbita é elíptica. Isso significa que ela parecerá 14% maior e até 30% mais brilhante do que o normal (se não houver nuvens). Ou seja, teremos uma superlua, termo cunhado em 1979 pelo astrólogo americano Richard Nolle em um almanaque de horóscopo no qual ele previu várias catástrofes associadas ao fenômeno.

Rainha das marés

O termo que os astrônomos usam para se referir a uma superlua é “perigeu em sizígia”. Sizígia significa que o Sol, a Terra e a Lua estão alinhados, quer em conjunto (lua nova) ou em oposição (lua cheia), o que faz com que as marés aumentem (marés vivas) devido à gravidade conjunta das três estrelas. Nenhum outro corpo no Sistema Solar, exceto talvez o Sol e, em menor grau, Marte, exerce tanta influência sobre os humanos e outros habitantes de nosso planeta quanto a Lua. Seu brilho nas noites de lua cheia exerce um poderoso fascínio e desencadeia a metamorfose de licantropos (lobisomens) em filmes de terror. E de acordo com a cultura popular, o número de nascimentos também se eleva.

Morangos Silvestres

O termo “Lua de Morango”, segundo a NASA, se deve às tribos da América do Norte, que chamavam assim a Lua de Junho, o mês em que esta fruta amadurece na natureza. O perigeu ocorre uma vez por mês lunar, cerca de 13 vezes por ano, embora neste ano tenha coincidido com a fase de lua cheia apenas três vezes. Portanto, até 22 de março de 2022, não veremos outra lua como esta.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50