Acidente rodoviário

Acidente com ônibus e caminhão deixa 41 mortos no interior de São Paulo

A Polícia Rodoviária Estadual confirma também 10 feridos. Colisão aconteceu no começo da manhã em Taguaí, próximo à divisa com o Paraná

Um ônibus colidiu com um caminhão na região de Taguaí, interior de São Paulo.
Um ônibus colidiu com um caminhão na região de Taguaí, interior de São Paulo.Reprodução Globonews

Um acidente entre um ônibus e um caminhão na manhã desta quarta-feira (25), na região de Taguaí, interior de São Paulo, deixou 41 mortos e 10 feridos, segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE-SP). A colisão aconteceu numa curva na altura do quilômetro 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, a SP-249, que liga as cidades de Taguaí e Taquarituba, próximas à divisa com o Paraná. É o pior acidente em rodovias paulistas neste ano.

Por enquanto, nas contas da Polícia Rodoviária Estadual, 51 pessoas estiveram envolvidas no acidente. Entre elas, 37 morreram no local e outras 14 foram levadas a pronto-socorros da região, das quais quatro não resistiram. Polícia Militar e Corpo de Bombeiros não descartam a possibilidade de encontrar mais vítimas nas ferragens do acidente.

Os feridos foram levados para pronto-socorros das cidades de Taguaí, Fartura e Taquarituba, nas proximidades, mas devem ser encaminhados para Botucatu e Avaré, as maiores cidades da região e com hospitais com melhor estrutura. Segundo o Portal G1, o ônibus levava cerca de 50 funcionários de Taquarituba para Taguaí, onde fica a empresa têxtil na qual trabalham, e o motorista do caminhão, única pessoa no veículo, foi levado com vida para um pronto socorro de Fartura. A PRE-SP ressalta que essas informações ainda não foram confirmadas.

O governador de São Paulo, João Doria, se manifestou sobre o acidente através de sua rede social. “Minha solidariedade aos familiares e amigos das vítimas do grave acidente que ocorreu nesta manhã em Taguaí, interior de SP. Equipes dos Bombeiros, ambulâncias, PM e Polícia Rodoviária estão no local para atendimento da ocorrência e para apoiar as famílias das vítimas.”, escreveu. O governador também lamentou o acidente na entrevista coletiva realizada nesta manhã, na Universidade de São Paulo, onde inaugurou um programa de parceria entre o setor público e privado realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

A pedido de Doria, o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, se dirigiu à região do acidente para coordenação dos atendimentos e assistência aos familiares das vítimas. Em entrevista à Globonews, Gorinchteyn chamou a atenção para o estoque “crítico” das bolsas de sangue na região. Os níveis, segundo o secretário, já estão muito baixos devido à pandemia e se tornam ainda mais fundamentais para os feridos do acidente. Por isso, o Governo convocou a população para a doação de sangue no Hemocentro de Botucatu.

Com os números atuais, o acidente de Taguaí já é o maior em rodovias paulistas nos últimos 22 anos. Em 1998, um acidente envolvendo uma carreta carregada com diesel e gasolina, dois ônibus e um caminhão de bebidas deixou 55 mortos e 33 feridos na Rodovia Anhanguera (SP-330), entre as cidades de Araras e Leme. O maior do Estado aconteceu em 1960, quando um ônibus com estudantes de uma escola de São José do Rio Preto (SP) caiu no rio Turvo e vitimou 59 jovens que participavam de um coral e viajavam para fazer uma apresentação. Já o maior acidente rodoviário do Brasil data de 1988, na cidade de Cachoeira-BA, onde 67 pessoas morreram após um caminhão pau-de-arara capotar e cair em um precipício.

O acidente aconteceu por volta das 7h (horário de Brasília) e, até agora, a rodovia segue interditada pela PRE-SP, sem previsão para a liberação da pista. O motivo da colisão ainda é desconhecido, mas a PM suspeita de ultrapassagem indevida na via de faixa simples.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Arquivado Em:

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50