Verne

“Eu não ajudo em casa, sou parte da casa”: uma reflexão sobre tarefas do lar

Texto no Facebook 'Eu não ajudo a minha esposa' fala de pessoas que esperam que sua contribuição em casa seja muito apreciada

Algumas pessoas falam de “ajudar” em casa. Ainda que por trás dessas palavras possam existir boas intenções, escondem uma concepção machista da divisão da limpeza, as compras e a cozinha: se o homem ajuda, a mulher é a principal responsável por essas tarefas. Um relato do Facebook chamado Eu não ajudo a minha esposa, compartilhado mais de 43.000 vezes no último mês desde 15 de outubro e que circula desde 2017, fala sobre esse problema.

“Um amigo veio à minha casa tomar café, nos sentamos e conversamos. Em determinado ponto da conversa, eu disse: “Vou lavar os pratos e volto num instante”. Ele me olhou como se eu lhe tivesse dito que iria construir um foguete espacial. Então ele me disse, com admiração, mas um pouco perplexo: “Ainda bem que você ajuda a sua mulher, eu não ajudo porque quando eu faço alguma coisa minha mulher não me elogia. Na semana passada lavei o chão e nem um obrigado”, diz a postagem, compartilhada pela página do Facebook Mujeres todoterreno.

A conversa entre os homens continua: “Voltei a me sentar com ele e lhe expliquei que eu não ajudo minha esposa. Na verdade, minha mulher não precisa de ajuda, ela precisa de um sócio. Eu sou um sócio em casa e por essa sociedade as funções são divididas, mas não se trata de uma ajuda às tarefas de casa. Eu não ajudo minha esposa a limpar a casa porque eu também moro aqui e é preciso que eu também a limpe. Eu não ajudo minha mulher a cozinhar porque eu também quero comer e é preciso que eu também cozinhe”.

Mais informações

“Quando, uma vez na sua vida, você limpa o chão, espera um prêmio por excelência? Por que? Nunca parou para pensar sobre isso, não? Talvez porque tenham te ensinado que todas as tarefas do lar são feitas sem que você mova um dedo?”, continua a postagem do Facebook. Você pode ler o texto completo no final do artigo.

As mulheres espanholas dedicam muito mais tempo às tarefas do lar do que os homens. Os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), procedentes da Pesquisa da Utilização do Tempo de 2010, demonstram que nos lares formados por um casal e filhos, a dedicação da mulher é de 4 horas e 45 minutos diários e a deles, de 2 horas e 34 minutos. Como explicamos nesse artigo, essa diferença é quase a mesma aos casais sem filhos, em que elas investem 4 horas e 37 minutos por dia e os homens 2 horas e 34 minutos.

Uma postagem compartilhada milhões de vezes

Esse texto circula pelas redes sociais pelo menos desde janeiro de 2017, quando foi compartilhado pela página brasileira do Facebook Oi, eu sinto, com 300.000 seguidores. Desde então, a postagem em português foi compartilhada mais de 530.000 vezes. Essa versão tinha como título Eu não ajudo a minha esposa, que se perdeu na postagem que está circulando em espanhol.

Meses depois, a tradução do texto em inglês também foi muito divulgada pelo Facebook. Em maio de 2017, uma usuária australiana publicou o texto em sua conta pessoal. Desde então, foi compartilhado mais de 470.000 vezes. Em julho do mesmo ano, um usuário norte-americano do Facebook divulgou o texto, compartilhado nas páginas de outras 870.000 pessoas.

Eu não ajudo a minha esposa. Um amigo veio a minha casa tomar café, sentamos e conversamos, falando sobre a vida. A um...

Gepostet von Oi, eu sinto am Donnerstag, 26. Januar 2017

Esse texto não inventa as críticas à utilização do verbo “ajudar” quando se fala de homens e tarefas de casa. Em 2015, o artigo Eu não ajudo minha mulher com as crianças e com as tarefas de casa do psicólogo espanhol Alberto Soler teve muita atenção em veículos de comunicação e redes sociais.

Mais informações