Meio ambiente

“Marche agora ou nade depois”: os cartazes e a ironia contra a mudança climática

Às vezes, as boas ideias só necessitam de um rotulador e um pedaço de papelão

Um dos cartazes que muitos meios de comunicação britânicos – como BBC e The Telegraph – usaram para ilustrar suas notícias sobre o protesto global contra a mudança climática não era o mais vistoso, nem o maior. Pelo contrário: era um minúsculo cartaz de papelão, do tamanho de um bilhete, onde se lia: “Use menos papel”.

Nesta sexta-feira começaram em dezenas de países os protestos contra a mudança climática, que se prolongarão durante a próxima semana e coincidirão com a Cúpula do Clima da próxima segunda-feira em Nova York. Centenas de milhares de estudantes saíram às ruas para pedir aos líderes políticos de seus países, e de todo o mundo, que passem à ação na luta contra a mudança climática. E, assim como ocorreu com o pequeno cartaz que apareceu na capa de muitos veículos britânicos, alguns dos mais chamativos foram os que continham mensagens de ironia e humor para falar de temas tão sérios como o aquecimento global, o degelo e os mares de plástico.

Os atos contra a mudança climática culminarão, em 27 de setembro, com uma greve global, que também será seguida em muitas cidades brasileiras. Se quiser reunir ideias para os seus cartazes, veja alguns dos mais divertidos que encontramos nos protestos:

"Por meu futuro!". (Ato em Londres)

"Será que ninguém vai pensar nas crianças?". (Sydney)

"Marche agora! Ou nade depois" (Londres)

"Nós (o kart do Mario) / o clima (a carapaça)". (Melbourne)

"Políticos, façam seu maldito trabalho, assim eu posso voltar para o meu" (Bruxelas)

No primeiro: "Não tenho idade suficiente para ver pornografia, mas sim para ver o planeta ser fodido". No segundo: "O Titanic não teria tido problemas em 2019". No terceiro: "Quando os líderes agem como crianças, as crianças agem como líderes". (Sydney)

No primeiro: "Pare de jogar lixo onde a gente respinga". No segundo: "Está tudo bem". No terceiro: "Crianças em 2019: quando eu crescer quero ser... / Aquecimento global: (meme de Danaerys Targaryen)". No quarto: "Esqueça o conto de fadas do crescimento e do capitalismo. Vamos marxar [um trocadilho com Marx]". (Dortmund, Alemanha)

No primeiro: "É meu planeta e chorarei se quiser". No segundo: "O planeta está mais quente que Leonardo DiCaprio quando jovem". No terceiro: "Faça pelo David [Attenborough]". No quarto: "A Amazon [Amazônia] errada está queimando". (Glasgow)

No EL PAÍS, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por 1 euro no primeiro mês e 10 euros a partir do mês seguinte, sem compromisso de permanência.

Inscreva-se

Mais informações