COPA AMÉRICA | BRASIL X ARGENTINA

Messi: “O Brasil controla a Conmebol”

Capitão da Argentina critica muito a arbitragem ao reclamar da não marcação de dois pênaltis: “São jogadas que vão te irritando”

Messi é derrubado por Casemiro no clássico sul-americano.
Messi é derrubado por Casemiro no clássico sul-americano.

Mais informações

Muitas vezes criticado por seu silêncio, crônico no Barcelona, Lionel Messi atuou como porta-voz da Argentina durante toda a Copa América. Do começo ao fim, o capitão da Alviceleste falou em todas as zonas mistas do Brasil. Nas situações ruins, como na derrota para a Colômbia; nas regulares, como diante do Paraguai; e nas boas, como nas vitórias sobre o Catar e a Venezuela, ambas por 2 a 0. Mas não quis se despedir da competição sem deixar uma mensagem para a Conmebol. “Prejudicaram muito a gente”, disse o camisa 10. “O pessoal da Conmebol vai ter de fazer alguma coisa. Nesta Copa se cansaram de marcar bobagens: toques de mão bobos, pênaltis bobos, e aqui não foram nem ver o VAR. Foram dois pênaltis claros para nós que não marcaram. Todos os cartões eram para nós, e para eles nada. São jogadas que vão te irritando e te tiram da partida. O árbitro não foi justo.”

Messi não podia conter a raiva no Mineirão: “Tomara que a Conmebol faça algo, embora eu não acredite que vá fazer nada, porque o Brasil controla tudo. É muito complicado”. Os jogadores da Argentina reclamaram de dois supostos pênaltis não marcados pelo árbitro equatoriano Roddy Zambrano. Um sobre Kun Agüero em um choque com Dani Alves e outro de Arthur em Otamendi, que terminou no segundo gol do Brasil. “Concordo com o Messi, acho que o árbitro estava mais nervoso do que nós”, afirmou Dani Alves. “O VAR funcionou muito bem até hoje. Senti o golpe de Dani Alves, não sei por que o lance não foi revisado, porque tinham nos explicado antes da copa que iam fazer isso nas jogadas decisivas”, queixou-se Agüero. O treinador da Argentina, Lionel Scaloni, reforçou: “O árbitro foi determinante no jogo”.

Scaloni, no entanto, procurou destacar o trabalho de sua equipe. “O Brasil foi dominado pela Argentina em alguns momentos. Foi o melhor jogo que fizemos nesta copa pela magnitude do rival e pelo que criamos. Fizemos uma partida excelente, mas não serviu para a classificação. Foi um mérito nosso eles terem de jogar no contra-ataque. Sentimos que fomos superiores, mas o importante era chegar à final, e não conseguimos”, analisou o treinador da Alviceleste. A Argentina começou a Copa América com muitas dúvidas na derrota para a Colômbia, mas deixou certezas na queda diante do Brasil. “Às vezes o futebol é injusto. Se fosse por mérito, a Argentina é que deveria ter vencido. Tivemos mais posse de bola e não sei se alguma equipe os atacou tanto. De qualquer forma, o que conta é o resultado”, completou Scaloni.

“Temos de ficar tranquilos, porque existe um futuro. Os garotos mostraram que estão à altura. Algo novo começou. É preciso dar tempo”, ressaltou Messi. O camisa 10 afirmou que continuará comprometido com a seleção. “Messi é um extraterrestre”, elogiou o técnico do Brasil, Tite. “Vencer um jogo assim valoriza a chegada à final. Foi um grande jogo, de duas equipes com recursos técnicos impressionantes”, concluiu o treinador da seleção brasileira.