Premiê espanhol ironiza Bolsonaro ao criticar extrema direita: “São os voxonaros da Espanha”

Pedro Sánchez fez um jogo de palavras entre o sobrenome do presidente do Brasil e o nome do partido de ultradireita Vox: “O futuro nunca vai ser dominado por aqueles que estão ancorados ao passado"

Pedro Sánchez em Barcelona.
Pedro Sánchez em Barcelona.Alberto Estévez (EFE)

Mais informações

O premiê da Espanha, Pedro Sánchez, ironizou o presidente Jair Bolsonaro para criticar o avanço da extrema direita. “São os voxonaros de Espanha”, disse o Sánchez, fazendo um jogo de palavras entre o sobrenome do presidente do Brasil e o nome do partido de ultradireita Vox.

"O futuro nunca será dominado por aqueles que estão ancorados no passado. Eles estão colocando em questão avanços que levamos séculos para conquistar. No século 21, quem escolhe a mulher como adversária certamente perde", afirmou Sánchez, em Barcelona, durante a apresentação do orçamento para o Conselho de Ministro da Espanha. 

O partido Vox ganhou destaque nas eleições da Andaluzia, em dezembro de 2018, quando elegeu 12 deputados com um discurso que valorizava o nacionalismo espanhol e o anti-independentismo, bem como mensagens contra a imigração, a lei da memória histórica e a lei contra a violência de gênero; além de constantes elogios às forças de segurança e ao Exército.

A ascensão do partido de extrema direita surpreendeu. "É como se Bolsonaro tivesse entrado na política brasileira pelo Nordeste", afirmou a socióloga Esther Solano Gallego em artigo para o EL PAÍS. E preocupa a liderança de Pedro Sanchez, do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), que pode enfrentar eleições antecipadas neste ano. Para o premiê, no entanto, suas contas são “um projeto de transformação da sociedade” frente a uma direita “que está em bancarrota ideológica”: “Que esperem sentados, vamos governar até 2020”.