Seleccione Edição
Login

Detido suspeito de ligação com pacotes-bomba enviados nos EUA

Com a descoberta de mais dois artefatos, endereçados a um senador e a um ex-diretor de Inteligência, chegam a 12 os ataques ocorridos nos últimos dias

Polícia vigia uma área isolada em Manhattan
Polícia vigia uma área isolada em Manhattan

As autoridades federais dos EUA detiveram um homem suspeito de ligação com a onda de pacotes-bomba enviados a destacadas figuras que costumam ser criticadas pela ala mais direitista do Partido Republicano. A detenção, segundo informações da TV CNN, ocorreu na Flórida, de onde se suspeita que tenham sido enviados pelo menos alguns dos pacotes.

Os agentes examinaram uma caminhonete branca, com as janelas cobertas por adesivos, na cidade de Plantation, no sul da Flórida. O detido é um homem com idade entre 50 e 60 anos, segundo a polícia, que não especificou sua identidade nem as acusações específicas contra ele.

Dois novos pacotes explosivos, dirigidos ao senador democrata Cory Brooker e ao ex-diretor nacional de Inteligência James R. Clapper, foram interceptados nesta sexta-feira, 26, pelas autoridades federais americanas. Com as duas novas descobertas, ocorridas em Nova York e na Flórida, sobe para 12 o número de envios suspeitos interceptados nos últimos dias, destinados a figuras públicas desprezadas pela direita.

O pacote enviado a Clapper, que foi diretor de Inteligência no Governo do democrata Barack Obama, foi localizado na agência de correios que serve ao edifício Time Warner. Nele fica a redação nova-iorquina da CNN, à qual tinha sido remetido o pacote. Trata-se do segundo artefato explosivo dirigido à sede da rede de notícias na Midtown Manhattan: na quarta-feira, 24, um pacote destinado ao ex-diretor da CIA John Brennan forçou o esvaziamento da redação. Nesta sexta-feira, mais uma vez, as forças de segurança isolaram a área para que os especialistas em explosivos pudessem retirar o dispositivo suspeito.

Cessar Sayoc, em uma imagem distribuída pela policial.
Cessar Sayoc, em uma imagem distribuída pela policial.

“Isto é terrorismo doméstico, está claro, não tenho nenhuma dúvida a respeito”, afirmou Clapper depois da descoberta.

O pacote dirigido a Brooker, senador democrata por Nova Jersey, foi interceptado na Flórida. O sul da Flórida é precisamente um dos lugares onde os investigadores estão concentrando seu trabalho, já que suspeitam que alguns dos pacotes tenham sido enviados de lá.

Os destinatários dos pacotes-bomba interceptados anteriormente foram Obama, o ex-vice-presidente Joe Biden, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, a congressista Maxine Waters, o ex-secretário de Justiça Eric Holder, o ator Robert De Niro e o multimilionário doador democrata George Soros. Nenhum dos dispositivos explodiu e ninguém ficou ferido. Todos têm em comum o fato de ter sido alvo de críticas e acusações do setor mais duro do Partido Republicano, inclusive do próprio presidente americano, Donald Trump.

Trump foi relativamente morno ao condenar a série de ataques, e não hesitou em apontar a tensão no país − que ele atribui aos meios de comunicação críticos de sua atuação − como terreno fértil que pode tê-los propiciado. A menos de duas semanas das eleições legislativas, Trump optou nesta sexta-feira por uma abordagem em tom eleitoral. “Os republicanos estão indo tão bem na votação antecipada e nas pesquisas, e agora acontece esta coisa de ‘bomba’ e o impulso diminui muito − as notícias não falam de política. Muito infeliz o que está acontecendo. Republicanos, saiam e votem!”, tuitou o presidente.

 

MAIS INFORMAÇÕES