Seleccione Edição
Login
Dez viagens em que seu dinheiro rende mais

Dez viagens em que seu dinheiro rende mais

10 fotos

De um cruzeiro no Alto Nilo, no Egito, até a Amazônia do Equador, os destinos com o melhor custo-benefício, segundo o Lonely Planet

  • Em 2019, o itinerário histórico ao longo do Alto Nilo se tornará uma oferta irresistível para viajantes, e a um bom preço, liderando a lista de destinos com a melhor relação custo-benefício para o próximo ano no ranking anual. Lonely Planet's Best in Travel. O turismo está retornando ao Egito (a segurança melhorou em seus grandes centros turísticos, embora seja conveniente viajar com precauções, segundo o Ministério das Relações Exteriores), mas com taxas ainda menores do que em 2011, quando o declínio turístico começou, por conta das revoltas sociais causadas pela chamada Primavera Árabe. Os enclaves históricos ao lado do grande rio, como Luxor (na foto, o templo de Karnak) e Aswan, agora são acessíveis por pouco dinheiro. Se você viajar de cruzeiro, comida, transporte por terra e visitas a templos e monumentos são geralmente incluídos dentro de um preço fechado, geralmente bastante acessível.
    1Vale do Nilo (Egito) Em 2019, o itinerário histórico ao longo do Alto Nilo se tornará uma oferta irresistível para viajantes, e a um bom preço, liderando a lista de destinos com a melhor relação custo-benefício para o próximo ano no ranking anual. Lonely Planet's Best in Travel. O turismo está retornando ao Egito (a segurança melhorou em seus grandes centros turísticos, embora seja conveniente viajar com precauções, segundo o Ministério das Relações Exteriores), mas com taxas ainda menores do que em 2011, quando o declínio turístico começou, por conta das revoltas sociais causadas pela chamada Primavera Árabe. Os enclaves históricos ao lado do grande rio, como Luxor (na foto, o templo de Karnak) e Aswan, agora são acessíveis por pouco dinheiro. Se você viajar de cruzeiro, comida, transporte por terra e visitas a templos e monumentos são geralmente incluídos dentro de um preço fechado, geralmente bastante acessível. Getty
  • Esta cidade pós-industrial, a terceira maior da Polônia, está em plena transformação. Tornou-se próspera no século XIX graças às suas fábricas têxteis, mas depois veio o declínio. Agora combina a renovação de antigos espaços industriais com novos projetos arquitetônicos. O EC de Lodz, um dos emblemas da mudança, já possui um novo planetário, um museu de ciência e tecnologia e vários salões de exposição. A área de lazer e compras de Manufaktura (foto), abrigada em uma antiga fábrica têxtil, abriga também o Museu de Arte MS2, além de várias atrações, como uma tirolesa e uma praia artificial. E a antiga estação ferroviária de Fabryczna, demolida em 2012, foi reaberta em 2016 transformada em um novo e moderno centro de comunicações ferroviárias. Outra das grandes indústrias de Lotz foi o cinema, como mostra o Museu da Cinematografia, localizado em uma residência quase palaciana. Um bom plano para conhecer a cidade é alugar um 'ciclorickshaw' e seguir pela Piotrkowska Street, uma das maiores ruas de pedestres da Europa.
    2Lodz (Polônia) Esta cidade pós-industrial, a terceira maior da Polônia, está em plena transformação. Tornou-se próspera no século XIX graças às suas fábricas têxteis, mas depois veio o declínio. Agora combina a renovação de antigos espaços industriais com novos projetos arquitetônicos. O EC de Lodz, um dos emblemas da mudança, já possui um novo planetário, um museu de ciência e tecnologia e vários salões de exposição. A área de lazer e compras de Manufaktura (foto), abrigada em uma antiga fábrica têxtil, abriga também o Museu de Arte MS2, além de várias atrações, como uma tirolesa e uma praia artificial. E a antiga estação ferroviária de Fabryczna, demolida em 2012, foi reaberta em 2016 transformada em um novo e moderno centro de comunicações ferroviárias. Outra das grandes indústrias de Lotz foi o cinema, como mostra o Museu da Cinematografia, localizado em uma residência quase palaciana. Um bom plano para conhecer a cidade é alugar um 'ciclorickshaw' e seguir pela Piotrkowska Street, uma das maiores ruas de pedestres da Europa. Getty
  • Embora pouco conhecido fora dos Estados Unidos, o Great Smoky Mountains National Park não é segredo para os americanos: o parque recebe cerca de 10 milhões de visitantes por ano. Ele abrange os estados da Carolina do Norte e do Tennessee e pode ser visitado gratuitamente. Aqui você pode desfrutar de vistas como Clingmans Dome (foto), localizado no ponto mais alto do Tennessee (2.025 metros) ou explorar as cabines evocativas, igrejas e moinhos de madeira de Cades Cove, um Um vale isolado onde os primeiros colonos que vieram para a área se estabeleceram (você pode caminhar ou andar de bicicleta em uma rota circular de 17 quilômetros). O parque se recuperou dos graves incêndios sofridos em 2016, e o acesso também foi restaurado para a icônica Chimney Tops Trail, uma trilha cênica e popular de cinco quilômetros com dificuldade moderada.
    3Great Smoky Mountains (Estados Unidos) Embora pouco conhecido fora dos Estados Unidos, o Great Smoky Mountains National Park não é segredo para os americanos: o parque recebe cerca de 10 milhões de visitantes por ano. Ele abrange os estados da Carolina do Norte e do Tennessee e pode ser visitado gratuitamente. Aqui você pode desfrutar de vistas como Clingmans Dome (foto), localizado no ponto mais alto do Tennessee (2.025 metros) ou explorar as cabines evocativas, igrejas e moinhos de madeira de Cades Cove, um Um vale isolado onde os primeiros colonos que vieram para a área se estabeleceram (você pode caminhar ou andar de bicicleta em uma rota circular de 17 quilômetros). O parque se recuperou dos graves incêndios sofridos em 2016, e o acesso também foi restaurado para a icônica Chimney Tops Trail, uma trilha cênica e popular de cinco quilômetros com dificuldade moderada. Getty
  • Desde que o governo aprovou em 2010 a abertura de “guest houses” nas Maldivas, a oferta de alojamento a preços acessíveis tem crescido no arquipélago idílico do Oceano Índico, que atrai cada vez mais mochileiros independentes e para o qual só agora se tornou possível viajar sem pacotes turísticos com estadias em resorts das ilhas. Entre as ilhas mais populares entre os mochileiros são Maafushi, Thoddoo e Dhigurah, embora existam muitos mais. Além disso, a rede de balsas de linha conecta todas as ilhas habitadas, exceto aquelas ocupadas exclusivamente por 'resorts'.
    4Maldivas Desde que o governo aprovou em 2010 a abertura de “guest houses” nas Maldivas, a oferta de alojamento a preços acessíveis tem crescido no arquipélago idílico do Oceano Índico, que atrai cada vez mais mochileiros independentes e para o qual só agora se tornou possível viajar sem pacotes turísticos com estadias em resorts das ilhas. Entre as ilhas mais populares entre os mochileiros são Maafushi, Thoddoo e Dhigurah, embora existam muitos mais. Além disso, a rede de balsas de linha conecta todas as ilhas habitadas, exceto aquelas ocupadas exclusivamente por 'resorts'. Getty
  • Em 2019 comemoramos o 50º aniversário desse "pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade", que fez do americano Neil A. Armstrong o primeiro ser humano a pisar a lua em 20 de julho de 1969. Essa é uma boa oportunidade para visitar a cidade onde está localizado o Centro de Controle Espacial, de onde foram controlados os pousos lunares das décadas de 1960 e 1970, que está sendo reformado e terá várias atividades para o aniversário. Houston também tem outras atrações interessantes para os visitantes, como o Bairro dos Museus, que possui 19 museus muito próximos entre si (10 deles gratuitos e o restante com dias especiais que não cobram entrada, na foto, o Downtown Aquarium), ou a arte urbana do emergente bairro de EaDo (East Downtown), que tem uma galeria de murais ao ar livre e um circuito auto-guiado que percorre esta área animada e colorida da cidade. Além disso, comer bem em Houston não significa comer caro: em Chinatown, a oeste da cidade, existem diversos restaurantes como Sichuan e Crawfish & Noodles, nomeado em 2018 por James Beard Awards,o prêmio considerado o Oscar da cozinha americana.
    5Houston (Estados Unidos) Em 2019 comemoramos o 50º aniversário desse "pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade", que fez do americano Neil A. Armstrong o primeiro ser humano a pisar a lua em 20 de julho de 1969. Essa é uma boa oportunidade para visitar a cidade onde está localizado o Centro de Controle Espacial, de onde foram controlados os pousos lunares das décadas de 1960 e 1970, que está sendo reformado e terá várias atividades para o aniversário. Houston também tem outras atrações interessantes para os visitantes, como o Bairro dos Museus, que possui 19 museus muito próximos entre si (10 deles gratuitos e o restante com dias especiais que não cobram entrada, na foto, o Downtown Aquarium), ou a arte urbana do emergente bairro de EaDo (East Downtown), que tem uma galeria de murais ao ar livre e um circuito auto-guiado que percorre esta área animada e colorida da cidade. Além disso, comer bem em Houston não significa comer caro: em Chinatown, a oeste da cidade, existem diversos restaurantes como Sichuan e Crawfish & Noodles, nomeado em 2018 por James Beard Awards,o prêmio considerado o Oscar da cozinha americana. Getty
  • Nos últimos anos, viajar para este país é mais caro, mas os esforços do governo para incentivar o turismo, por vezes, conseguem criar oportunidades interessantes com medidas de reembolso, como por exemplo a devolução de 21% do IVA para visitantes estrangeiros que pagam pelo alojamento com cartão de crédito. Mas o grande incentivo de 2019 para visitar a Argentina será o eclipse solar total de 2 de julho, que será visível de lugares como Campo del Cielo, uma grande área das províncias do norte do Chaco (foto) e Santiago del Estero plantada com meteoritos enormes.
    6Argentina Nos últimos anos, viajar para este país é mais caro, mas os esforços do governo para incentivar o turismo, por vezes, conseguem criar oportunidades interessantes com medidas de reembolso, como por exemplo a devolução de 21% do IVA para visitantes estrangeiros que pagam pelo alojamento com cartão de crédito. Mas o grande incentivo de 2019 para visitar a Argentina será o eclipse solar total de 2 de julho, que será visível de lugares como Campo del Cielo, uma grande área das províncias do norte do Chaco (foto) e Santiago del Estero plantada com meteoritos enormes. age fotostock
  • Embora ofereça tudo o que um viajante curioso pode desejar, Bangladesh não recebe muitos visitantes. É o oitavo país mais populoso do mundo (de maioria muçulmana) e oferece cidades cheias de vida, praias como Cox's Bazar (na imagem), uma das mais extensas da Ásia, meca dos surfistas, bem como parques nacionais com manguezais e tigres selvagens, como os Sundarbans. Sempre foi um destino barato e declarou enclaves de patrimônio mundial, como a cidade mesquita de Bagerhat, onde convergem os rios Ganges e Brahmaputra, ou as carismáticas ruínas budistas de Paharpur. Uma das melhores experiências para conhecer o país é navegar de Daca para Barisal a bordo do 'Foguete', um barco a vapor clássico, que custa menos que um almoço no porto antes de embarcar.
    7Bangladesh Embora ofereça tudo o que um viajante curioso pode desejar, Bangladesh não recebe muitos visitantes. É o oitavo país mais populoso do mundo (de maioria muçulmana) e oferece cidades cheias de vida, praias como Cox's Bazar (na imagem), uma das mais extensas da Ásia, meca dos surfistas, bem como parques nacionais com manguezais e tigres selvagens, como os Sundarbans. Sempre foi um destino barato e declarou enclaves de patrimônio mundial, como a cidade mesquita de Bagerhat, onde convergem os rios Ganges e Brahmaputra, ou as carismáticas ruínas budistas de Paharpur. Uma das melhores experiências para conhecer o país é navegar de Daca para Barisal a bordo do 'Foguete', um barco a vapor clássico, que custa menos que um almoço no porto antes de embarcar. Getty
  • Durante a era soviética, a Albânia era um país de acesso proibido, algo que, para alguns, só aumentava a curiosidade de saber o que escondia esse canto do Mediterrâneo. Aberto ao turismo por alguns anos, é uma das últimas fronteiras da Europa, com ótimas praias para desfrutar sem as aglomerações de outros resorts na Grécia ou Montenegro. O mais interessante da Albânia são seus centros arqueológicos, como Apollonia (na foto) e Butrinto, e suas paisagens montanhosas. Mas você também pode desfrutar de uma mistura muito autêntica de influências otomanas, mediterrâneas e italianas. O contraste é colocado por sua capital, Tirana, que é cada vez mais dinâmica. E tudo isso por muito pouco dinheiro se compararmos com qualquer outro destino europeu. Em Tirana, você pode pegar o teleférico Dajti Express para subir até o cume do Monte Dajti, 1.611 metros, onde há trilhas para caminhada e áreas para piquenique com excelentes vistas.
    8Albânia Durante a era soviética, a Albânia era um país de acesso proibido, algo que, para alguns, só aumentava a curiosidade de saber o que escondia esse canto do Mediterrâneo. Aberto ao turismo por alguns anos, é uma das últimas fronteiras da Europa, com ótimas praias para desfrutar sem as aglomerações de outros resorts na Grécia ou Montenegro. O mais interessante da Albânia são seus centros arqueológicos, como Apollonia (na foto) e Butrinto, e suas paisagens montanhosas. Mas você também pode desfrutar de uma mistura muito autêntica de influências otomanas, mediterrâneas e italianas. O contraste é colocado por sua capital, Tirana, que é cada vez mais dinâmica. E tudo isso por muito pouco dinheiro se compararmos com qualquer outro destino europeu. Em Tirana, você pode pegar o teleférico Dajti Express para subir até o cume do Monte Dajti, 1.611 metros, onde há trilhas para caminhada e áreas para piquenique com excelentes vistas. Getty
  • Este país é ideal para uma experiência sul-americana em um curto espaço de tempo: paisagens andinas, cidades coloniais, natureza e boas ondas na costa do Pacífico convidam você a explorar "o país dos quatro mundos": a costa, as montanhas, as Ilhas Galápagos e o leste amazônico, onde centros de ecoturismo como o Yachana Lodge oferecem acomodação e rotas ao longo do rio Napo e seus afluentes, uma das áreas mais selvagens da bacia do alto rio Amazonas (foto).
    9Equador Este país é ideal para uma experiência sul-americana em um curto espaço de tempo: paisagens andinas, cidades coloniais, natureza e boas ondas na costa do Pacífico convidam você a explorar "o país dos quatro mundos": a costa, as montanhas, as Ilhas Galápagos e o leste amazônico, onde centros de ecoturismo como o Yachana Lodge oferecem acomodação e rotas ao longo do rio Napo e seus afluentes, uma das áreas mais selvagens da bacia do alto rio Amazonas (foto). Getty
  • Um destino europeu que combina paisagens espetaculares e cidades cheias de charme. A pequena dimensão do país permite-lhe deslocar-se com facilidade e economia: em poucas horas pode ir de uma cidade de estilo veneziano a espectaculares vales alpinos e regressar a tempo de um jantar à beira do rio no centro de Ljubljana, a capital recoleta . A Eslovênia está se consolidando como um destino para atividades ao ar livre (e a preços acessíveis). No verão, os lugares mais turísticos, como o Lago Bled ou Bohinj, têm uma alta ocupação, mas é fácil deixar para trás as multidões que pegam o trem de Nova Gorica, na fronteira ítalo-eslovena, até Jesenice, uma agradável viagem de duas horas. os Alpes Julianos, ou percorrendo a região de Prekmurje (foto) e suas colinas de vinhedos e casas de estilo húngaro.
    10Eslovênia Um destino europeu que combina paisagens espetaculares e cidades cheias de charme. A pequena dimensão do país permite-lhe deslocar-se com facilidade e economia: em poucas horas pode ir de uma cidade de estilo veneziano a espectaculares vales alpinos e regressar a tempo de um jantar à beira do rio no centro de Ljubljana, a capital recoleta . A Eslovênia está se consolidando como um destino para atividades ao ar livre (e a preços acessíveis). No verão, os lugares mais turísticos, como o Lago Bled ou Bohinj, têm uma alta ocupação, mas é fácil deixar para trás as multidões que pegam o trem de Nova Gorica, na fronteira ítalo-eslovena, até Jesenice, uma agradável viagem de duas horas. os Alpes Julianos, ou percorrendo a região de Prekmurje (foto) e suas colinas de vinhedos e casas de estilo húngaro. Getty