Seleccione Edição
Login

Morre Joe Jackson, pai de Michael Jackson

Graças a ele, os Jackson Five assinaram com a legendária discográfica Motown e em 1970 colocaram seus três primeiros 'singles' no topo da Billboard

Joe Jackson
Joe Jackson, pai de Michael Jackson. REUTERS

Joe Jackson, pai, promotor, patriarca e também o homem que lançou a carreira do rei do pop, Michael Jackson, morreu nesta quarta-feira, vítima de um câncer de pâncreas. Sua morte, que já era esperada, foi confirmada entre outros veículos pelo site TMZ. Tinha 89 anos. Nascido em 1928 e casado em 1949 com Katherine Jackson, teve 11 filhos, que foram os responsáveis pela sua fama. O patriarca dessa família numerosa percebeu desde cedo que as vozes de seus filhos eram o bilhete premiado para sair da pobreza em que os criava em Gary, Indiana (EUA). Primeiro, ainda na década de sessenta, formou o Jackson Five, grupo composto pelos irmãos Jackie, Jermaine, Marlon, Tito e Michael Jackson. E depois promoveria também a carreira solo de Michael Jackson, quando ele ainda era criança. Posteriormente, Randy foi parte dos Jackson Five. E suas filhas LaToya, Rebbie e Janet publicaram álbuns sob o olhar atento e a disciplina rigorosa de seu pai.

Jermaine Jackson tuitou recentemente sobre a saúde do patriarca, mas sugeriu que não aceitava o fato de que ele estava morrendo. “O tempo que resta, minha mãe, seus filhos e parentes querem passar ao seu lado”, acrescentou nas redes.

Suas palavras recordavam o escândalo que sempre acompanhou os integrantes desta família. Graças a Joe Jackson, os Jackson Five assinaram com a lendária gravadora Motown e em 1970 emplacaram seus três primeiros singles (I Want You Back, ABC e The Love You Save) no primeiro lugar da cobiçada parada de sucessos da revista Billboard. Joe Jackson também foi o primeiro a perceber o singular talento daquele que seria para sempre o rei do pop, Michael Jackson.

Mas a relação artística e familiar foi no mínimo complicada, ou talvez diretamente abusiva, tanto física como mentalmente. O jovem Jackson reconheceu que nunca teria chegado ao sucesso que teve se não fosse pela disciplina de seu pai. Mas em diferentes entrevistas o homem das luvas brancas também descreveu os insultos e as surras que recebeu por causa do abusivo rigor ao qual ele e seus irmãos eram submetidos para que oferecessem o melhor de si. Em 1979, Michael Jackson já havia demitido seu pai do cargo de empresário, e então decolou na meteórica carreira que o levou a sucessos como Off the Wall e especialmente Thriller.

Posteriormente pareceu perdoá-lo, celebrando em sua homenagem o “Dia de Joseph Jackson” na sua fazenda Neverland. Mas ao morrer, devido a uma overdose acidental em 2009, com apenas 50 anos, Michael Jackson deixou claras mais uma vez as suas desavenças familiares. Joe Jackson foi excluído da sua herança, e seus netos Michael, Paris e Blanket, filhos de Michael, ficaram sob a custódia da mãe do cantor, Katherine, avó das crianças, de 88 anos.

Apesar desse passado complicado e dos seus criticados métodos durante a educação e promoção de seus filhos, foi incluído em 2002 no Hall da Fama do Rock & Roll, uma das maiores honrarias do mundo da música. Na ocasião, foi eleito um dos melhores empresários musicais de todos os tempos. “Fico feliz por ter sido duro, porque vejam o que consegui”, declarou numa entrevista em 2003. “Consegui filhos queridos por todos em todo o mundo. E que souberam como tratar a todos”, acrescentou.

Há anos residindo em Las Vegas (EUA), onde faleceu, nos últimos anos teve numerosos problemas de saúde. Em 2015 sofreu uma embolia durante uma visita ao Brasil, e foi novamente hospitalizado em 2017 depois de um acidente de carro em Las Vegas. Também sofria de demência, arritmia e teve um ataque cardíaco. Em termos legais, Katherine Jackson foi a única esposa de Joe, apesar dos numerosos pedidos de divórcio dela por causa das conhecidas aventuras sexuais do patriarca. De fato, sua filha Joh’Vonnie Jackson foi fruto dos 25 anos de relação que manteve com Cheryl Terrell.

MAIS INFORMAÇÕES