Seleccione Edição
Login

Marqueteiros de Trump usaram dados privados de milhões no Facebook

Rede social admite "violação de regras" e bane Cambridge Analytica. Sócio brasileiro que queria usar método em eleição brasileira anuncia suspensão da parceria

Cambridge Analytica Brasil
André Torretta, em seu escritório em São Paulo.

O Facebook anunciou na noite desta sexta-feira a suspensão da conta SCL Strategic Communication e de sua empresa de análise de dados, a Cambridge Analytica, que trabalhou para a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos. A plataforma de Mark Zuckerberg acusa a empresa de ter arquivado dados dos usuários do Facebook, violando assim, sua política de privacidade. Segundo reportagem do New York Times e The Observer, de Londres, a companhia teve acesso a milhões de dados privados dos usuários.

Após o anúncio, André Torretta, marqueteiro político e sócio da Cambridge Analytica no Brasil, por meio da CA-Ponte, anunciou o fim da parceria. “É importante dizer que os fatos não aconteceram no Brasil. No entanto, a Ponte decidiu não renovar a parceria com a CA, até que tudo seja esclarecido”, disse, a assessoria de imprensa, por meio de nota. A parceria fora anunciada no ano passado e a expectativa era saber para qual campanha a empresa trabalharia nas eleições deste ano.

O Facebook afirma que a empresa britânica teria arquivado, por anos, dados dos usuários, e de ter mentido ao informar que os havia destruído. Mas não informa de que maneira esses dados teriam sido usados. O escândalo é mais um revés pra rede social, sob forte escrutínio desde a vitória de Trump. O tema cresceu com as investigações sobre a influência russa nas eleições dos EUA por meio das redes sociais.

Cambridge Analytica tem como principal acionista o bilionário Robert Mercer, conhecido por ter mudado o Wall Street usando big data e por ser um importante financiador de ativistas conservadores e de ultradireita. As reais capacidades da empresa em influenciar os eleitores vinham sendo questionadas: há os que se diziam aterrorizados com a empresa, uma máquina de propaganda sem escrúpulo, e outros que viam muito automarketing eram céticos sobre o que, de fato, o método da consultoria pode entregar. Agora há novas informações para formar um julgamento.

MAIS INFORMAÇÕES