Seleccione Edição
Login

Honduras, onde a única forma de sobreviver é escapar

Cerca de 600.000 hondurenhos trocaram seu país pelos Estados Unidos, grande parte fugindo da morte e da miséria. Estas são as histórias de quem não pôde sair de seu país

  • San Pedro Sula, em Honduras, é considerada uma das cidades mais perigosas do mundo. Quase metade de seus 800.000 habitantes vive em situação de pobreza, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística do país centro-americano.
    1San Pedro Sula, em Honduras, é considerada uma das cidades mais perigosas do mundo. Quase metade de seus 800.000 habitantes vive em situação de pobreza, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística do país centro-americano. Getty Images
  • Muitas pessoas que vivem em bairros empobrecidos tentam fugir da violência e da miséria emigrando para os Estados Unidos.
    2Muitas pessoas que vivem em bairros empobrecidos tentam fugir da violência e da miséria emigrando para os Estados Unidos. Getty Images
  • Crianças posam na porta de sua casa, onde há apenas um cômodo.
    3Crianças posam na porta de sua casa, onde há apenas um cômodo. Getty Images
  • Isaac Morales, de 30 anos, tentou emigrar para os Estados Unidos em 2016. Pretendia trabalhar e mandar dinheiro para a família, mas foi detido por agentes da patrulha fronteiriça norte-americana no deserto do Arizona e deportado.
    4Isaac Morales, de 30 anos, tentou emigrar para os Estados Unidos em 2016. Pretendia trabalhar e mandar dinheiro para a família, mas foi detido por agentes da patrulha fronteiriça norte-americana no deserto do Arizona e deportado. Getty Images
  • A família de Isaac nunca conseguiu reunir os 6.000 dólares (quase 20.000 reais) de que precisam para operar seu filho José, de 11 anos, que tem uma deformação na coluna. Na imagem, Sonia Morales massageia as costas do filho.
    5A família de Isaac nunca conseguiu reunir os 6.000 dólares (quase 20.000 reais) de que precisam para operar seu filho José, de 11 anos, que tem uma deformação na coluna. Na imagem, Sonia Morales massageia as costas do filho. Getty Images
  • O tráfico de imigrantes ilegais através da fronteira continua ativo, apesar da política restritiva de Donald Trump. Na fotografia, um líder de coiotes que atua no tráfico de pessoas.
    6O tráfico de imigrantes ilegais através da fronteira continua ativo, apesar da política restritiva de Donald Trump. Na fotografia, um líder de coiotes que atua no tráfico de pessoas. Getty Images
  • As gangues controlam as cidades por meio de extorsões e tráfico de drogas. Os jovens têm poucas opções além de juntar-se a grupos como o MS-13 e o Barrio 18.
    7As gangues controlam as cidades por meio de extorsões e tráfico de drogas. Os jovens têm poucas opções além de juntar-se a grupos como o MS-13 e o Barrio 18. Getty Images
  • El Mortal, líder local da gangue Bairro 18, entrou para o grupo aos 10 anos.
    8El Mortal, líder local da gangue Bairro 18, entrou para o grupo aos 10 anos. Getty Images
  • Os enfrentamentos entre gangues afetam a vida cotidiana de gente como este pai, cujo filho de 19 anos desapareceu depois de ir a uma festa com a namorada.
    9Os enfrentamentos entre gangues afetam a vida cotidiana de gente como este pai, cujo filho de 19 anos desapareceu depois de ir a uma festa com a namorada. Getty Images
  • Mãe observa ambulância que vai atender uma emergência, uma cena comum em San Pedro Sula.
    10Mãe observa ambulância que vai atender uma emergência, uma cena comum em San Pedro Sula. Getty Images
  • Um membro da gangue Barrio 18 patrulha a vizinhança durante a noite. As gangues hondurenhas têm confrontos diários por controle de território.
    11Um membro da gangue Barrio 18 patrulha a vizinhança durante a noite. As gangues hondurenhas têm confrontos diários por controle de território. Getty Images
  • Lupe Fernández, de 83 anos, prepara-se para viver sozinha de novo depois que seu colega de quarto, um ex-policial, decidiu emigrar para os Estados Unidos.
    12Lupe Fernández, de 83 anos, prepara-se para viver sozinha de novo depois que seu colega de quarto, um ex-policial, decidiu emigrar para os Estados Unidos. Getty Images
  • Todos os filhos de Lupe emigraram, dois foram para os Estados Unidos e duas para a Espanha, deixando-a praticamente sozinha em Honduras.
    13Todos os filhos de Lupe emigraram, dois foram para os Estados Unidos e duas para a Espanha, deixando-a praticamente sozinha em Honduras. Getty Images

MAIS INFORMAÇÕES