Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Nasa divulga as melhores imagens já captadas da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

Dados coletados pela sonda ‘Juno’ são os mais próximos já obtidos da tempestade no maior planeta do Sistema Solar

Imagem com cor melhorada, criada com os dados enviados pela sonda Juno.
Imagem com cor melhorada, criada com os dados enviados pela sonda Juno. EFE

A Nasa divulgou nesta quarta-feira uma série de imagens impressionantes da tempestade “furiosa” de Júpiter, conhecida como a Grande Mancha Vermelha, esquadrinhada no início desta semana pela sonda não tripulada Juno.

A sonda sobrevoou a tempestade na segunda-feira oferecendo a visão mais próxima que a humanidade já obteve da mancha característica do maior planeta do Sistema Solar e que se supõe que exista há mais de três séculos.

“Durante centenas de anos os cientistas estiveram observando, perguntando e teorizando sobre a Grande Mancha Vermelha de Júpiter”, disse Scott Bolton, pesquisador-chefe da Juno no Southwest Research Institute em San Antonio. “Agora temos as melhores imagens da História”, acrescentou.

Os cientistas esperam saber mais a respeito das causas da tempestade. Segundo Bolton, levará algum tempo para analisar os dados coletados pelos oito instrumentos da Juno na passagem pela tormenta, a 9.000 quilômetros de altura.

A Grande Mancha Vermelha media 16.350 quilômetros de largura em 3 de abril deste ano, 1,3 vez o tamanho da Terra. Ela tem sido monitorada desde 1830 e possivelmente existe há mais de 350 anos. A Nasa fotografou o fenômeno ao longo dos anos através de telescópios e naves não tripuladas.

A Juno foi lançada em 2011 e entrou na órbita de Júpiter no ano passado. Seu próximo voo de reconhecimento está previsto para o início de setembro.

Imagens de Júpiter divulgadas pela Nasa
Imagens de Júpiter divulgadas pela Nasa AFP

“Estas imagens tão esperadas da Grande Mancha Vermelha de Júpiter são a ‘tempestade perfeita’ entre arte e ciência”, disse Jim Green, diretor de ciência planetária da Nasa. “Estamos felizes em compartilhar a beleza e a emoção da ciência espacial com todos”, acrescentou.

MAIS INFORMAÇÕES