Seleccione Edição
Login

Sonda Cassini sobrevoa pela última vez a lua Titã de Saturno

A sonda Cassini, da NASA, começa seu périplo final de 22 órbitas em torno do planeta

  • Ilustração mostra a nave Cassini, que se prepara para entrar em órbita em torno do planeta Saturno e seus anéis interiores como parte final de sua missão espacial, que está prevista para este dia 27 de abril, quando poderá atravessar os cerca de 2.700 quilômetros desse espaço. Após completar essa etapa, a nave entrará em Saturno para colher dados de seu interior a partir de setembro.
    1Ilustração mostra a nave Cassini, que se prepara para entrar em órbita em torno do planeta Saturno e seus anéis interiores como parte final de sua missão espacial, que está prevista para este dia 27 de abril, quando poderá atravessar os cerca de 2.700 quilômetros desse espaço. Após completar essa etapa, a nave entrará em Saturno para colher dados de seu interior a partir de setembro. EFE
  • O sobrevoo também colocou a Cassini em direção à sua última ação, conhecida como Grande Final. À medida que a nave passava sobre Titã, a gravidade da lua alterava a órbita da sonda robótica para que, em vez de passar por fora dos anéis principais de Saturno, a Cassini começasse uma série de 22 imersões entre os anéis e o planeta, em 26 de abril. A missão será concluída com uma imersão na atmosfera de Saturno em 15 de setembro.
    2O sobrevoo também colocou a Cassini em direção à sua última ação, conhecida como Grande Final. À medida que a nave passava sobre Titã, a gravidade da lua alterava a órbita da sonda robótica para que, em vez de passar por fora dos anéis principais de Saturno, a Cassini começasse uma série de 22 imersões entre os anéis e o planeta, em 26 de abril. A missão será concluída com uma imersão na atmosfera de Saturno em 15 de setembro. AP
  • A sonda espacial internacional Cassini durante sua imersão mais profunda nas cortinas de água provenientes das fendas da região polar de Encélado, em imagem feita em 2015 e fornecida pela NASA. A agência confirmou a descoberta de hidrogênio em Encélado, uma das luas de Saturno, o que poderia significar a existência de micro-organismos, e que se voltou a observar gêiseres emanando da Europa, uma das luas de Júpiter, sinal de uma atividade hidrotérmica que ocorre nesse satélite.
    3A sonda espacial internacional Cassini durante sua imersão mais profunda nas cortinas de água provenientes das fendas da região polar de Encélado, em imagem feita em 2015 e fornecida pela NASA. A agência confirmou a descoberta de hidrogênio em Encélado, uma das luas de Saturno, o que poderia significar a existência de micro-organismos, e que se voltou a observar gêiseres emanando da Europa, uma das luas de Júpiter, sinal de uma atividade hidrotérmica que ocorre nesse satélite. EFE
  • A Cassini recebeu um grande aumento na velocidade de aproximadamente 860,5 metros por segundo em relação a Saturno desde a aproximação com Titã.
    4A Cassini recebeu um grande aumento na velocidade de aproximadamente 860,5 metros por segundo em relação a Saturno desde a aproximação com Titã. REUTERS
  • Encélado, uma das luas de Saturno, brilha, sendo possível observar a sombra nos anéis do planeta.
    5Encélado, uma das luas de Saturno, brilha, sendo possível observar a sombra nos anéis do planeta. EFE
  • Vista de Encélado, uma das luas de Saturno. O trabalho dos pesquisadores da missão Cassini indica que o gás de hidrogênio, que poderia em tese proporcionar uma fonte de energia química para a vida, se encontra no oceano gelado de Encélado.
    6Vista de Encélado, uma das luas de Saturno. O trabalho dos pesquisadores da missão Cassini indica que o gás de hidrogênio, que poderia em tese proporcionar uma fonte de energia química para a vida, se encontra no oceano gelado de Encélado. EFE
  • A nave espacial ficará fora de contato durante a imersão e durante cerca de um dia depois enquanto realiza observações científicas perto do planeta. Espera-se que as imagens e outros dados comecem a ser originados pouco depois de se retomar a comunicação.
    7A nave espacial ficará fora de contato durante a imersão e durante cerca de um dia depois enquanto realiza observações científicas perto do planeta. Espera-se que as imagens e outros dados comecem a ser originados pouco depois de se retomar a comunicação. EFE
  • A Cassini transmitiu suas imagens e outros dados à Terra após o encontro. Os cientistas que cuidam da Cassini irão agora analisar o seu lote final de novas imagens de radar dos mares e dos lagos de hidrocarboneto que se espalham pela região polar do norte de Titã.
    8A Cassini transmitiu suas imagens e outros dados à Terra após o encontro. Os cientistas que cuidam da Cassini irão agora analisar o seu lote final de novas imagens de radar dos mares e dos lagos de hidrocarboneto que se espalham pela região polar do norte de Titã. AP
  • O foguete Titã 4B decolou em 15 de outubro de 1997 da base aérea de Cabo Canaveral com a nave tripulada ‘Cassini – Huygens’, que foi liberada no espaço para iniciar sua viagem a Saturno. A sonda Cassini levou sete anos percorrendo os 3,5 bilhões de quilômetros que a separavam de seu objetivo.
    9O foguete Titã 4B decolou em 15 de outubro de 1997 da base aérea de Cabo Canaveral com a nave tripulada ‘Cassini – Huygens’, que foi liberada no espaço para iniciar sua viagem a Saturno. A sonda Cassini levou sete anos percorrendo os 3,5 bilhões de quilômetros que a separavam de seu objetivo. REUTERS
  • A sonda espacial Cassini, que foi lançada em direção a Saturno em outubro de 1997, fotografada no Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, durante testes. A nave espacial foi um projeto conjunto da NASA, que entrou com o corpo orbital principal da sonda; a ESA, que produziu o veículo Huygens, que foi solto no satélite Titã de Saturno; e a Agência Espacial da Itália, que entrou com a antena.
    10A sonda espacial Cassini, que foi lançada em direção a Saturno em outubro de 1997, fotografada no Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, durante testes. A nave espacial foi um projeto conjunto da NASA, que entrou com o corpo orbital principal da sonda; a ESA, que produziu o veículo Huygens, que foi solto no satélite Titã de Saturno; e a Agência Espacial da Itália, que entrou com a antena. REUTERS
  • Um foguete Titã 4-B foi lançado de Cabo Canaveral (Flórida, EUA) levando a sonda espacial Cassini com destino a Saturno, em 15 de outubro de 1997.
    11Um foguete Titã 4-B foi lançado de Cabo Canaveral (Flórida, EUA) levando a sonda espacial Cassini com destino a Saturno, em 15 de outubro de 1997. REUTERS