Trump demite de surpresa o diretor do FBI

Presidente fulmina Comey após ele reconhecer que errou em seu depoimento sob juramento

 James Comey durante depoimento.
James Comey durante depoimento.Carolyn Kaster (AP)

Mais informações

O presidente Donald Trump terminou com a carreira do diretor do FBI, James Comey, nesta terça-feira quando viu que ele tinha se tornado um perigo. De forma surpreendente, a Casa Branca anunciou hoje a repentina demissão depois que Comey reconheceu erros graves em seu testemunho diante do Comitê Judiciário do Senado. A queda de Comey, escolhido por Barack Obama, e cujo mandato terminava em 2023, tenta tapar o escândalo que começava a crescer por sua declaração equivocada sobre fatos que, em plena campanha eleitoral, causaram imensos danos eleitorais à candidata democrata Hillary Clinton.

Em seu depoimento sob juramento diante do Comitê Judiciário do Senado, Comey disse que o FBI tinha encontrado no final do ano passado, milhares de e-mails de Huma Abedin, o braço direito de Clinton, no computador de seu marido, Anthony Weiner. Esta descoberta, de acordo com o depoimento, levou à reabertura da explosiva investigação pelos e-mails enviados de uma conta privada pela ex-secretária de Estado (2009-2013). “Abedin tinha a prática rotineira de encaminhar e-mails para ele, acho que para que imprimisse e ela pudesse entregá-los à Secretária de Estado. Abedin encaminhou centenas de milhares de e-mails, alguns continham informações classificadas”, Comey testemunhou.

Essas afirmações, no entanto, estavam incorretas e o próprio FBI teve que desmenti-las hoje, em uma carta pública. Os investigadores determinaram que Abedin só encaminhou ocasionalmente alguns e-mails a seu marido, bem menos que os milhares como afirmou Comey. Nem era uma prática rotineira. E nenhum dos e-mails era, na época, considerado secreto, apesar de  posteriormente ter se determinado que um pequeno número deles continha informações classificadas.

Esse reconhecimento de um erro importante em um caso altamente explosivo significou uma bomba para Trump. Se o diretor do FBI não tinha dito a verdade sobre o motivo da investigação, sua reabertura, que Clinton considerou letal para sua campanha, poderia ser suspeita. Confrontado com a possibilidade de um escândalo ainda maior, Trump tomou a insólita decisão de demiti-lo.