Racismo no futebol

“Não contive as lágrimas”, diz jogador brasileiro vítima de racismo na Sérvia

Everton Luiz, do Partizan Belgrado, sofreu insultos racistas por 90 minutos e deixou o campo chorando

Everton Luiz, jogador brasileiro do Partizan Belgrado, da primeira divisão da Sérvia, terminou uma partida no último domingo aos prantos. Durante todo o jogo, a torcida da equipe adversaria, o Rad Belgrado, emitiu gritos imitando um macaco cada vez que o jogador tocava a bola. Seu time emitiu um comunicado condenando a atitude dos torcedores.O jogo terminou com vitória por 1 a 0 do Partizan.

Além dos gritos xenófobos, a partida teve que ser interrompida brevemente depois que os torcedores do Rad exibiram uma faixa com dizeres racistas contra o jogador, segundo informou a agência de notícias AFP. “Não consegui conter as lágrimas ao enfrentar insultos racistas durante os 90 minutos”, admitiu Everton Luiz, de 28 anos, após o jogo. No fim do confronto, o brasileiro foi até a arquibancada do Rad e fez um gesto mostrando seu dedo médio aos torcedores, o que provocou um tumulto entre os jogadores das duas equipes e lhe rendeu um cartão amarelo.

Foi aí que Everton Luiz começou a chorar. A imagem do meia, consolado pelo goleiro de seu time, não só apareceu nos jornais esportivos de todo o mundo, como também chegou à capa do site Reddit, onde gerou mais de 5.000 comentários em menos de 12 horas.

Após o incidente, o clube onde joga o brasileiro – que venceu o jogo por 1 x 0 – emitiu um comunicado manifestando rechaço aos incidentes xenófobos. “O Partizan Belgrado se sente na obrigação de pedir desculpas por todos os danos provocados pelos gritos racistas”, afirma a equipe. “Condenamos veementemente os autores desses atos”.

No comunicado, o Partizan também elogia o papel de Everton Luiz no time. “É um dos melhores jogadores da equipe, e no último ano conquistou os corações dos torcedores, sobretudo por seu comportamento e sua atitude”, diz o texto.

Segundo a AFP, o estádio do Rad, onde foi realizada a partida, será fechado temporariamente como medida disciplinar por causa dos insultos. O fechamento deve durar até a Comissão Disciplinar da Liga de Futebol Sérvia adotar uma medida definitiva.

Outro jogador brasileiro, Dani Alves, viveu um momento semelhante na Espanha, em 2014. Em uma partida de seu time, o Barcelona, contra o Villarreal, uma banana foi arremessada para o jogador, em um gesto racista. Dias depois, o torcedor que fez o lançamento foi preso. Na ocasião, Dani Alves respondeu comendo a banana. “Já levo na brincadeira. Infelizmente, não podemos mudar isso, então é melhor ignorar. Assim eles não atingem seus objetivos”, disse ele, após o incidente.

Os gestos racistas no futebol não ocorrem só nos estádios da primeira divisão. Em janeiro, em um partido entre crianças de 10 a 12 anos em Zaragoza, na Espanha, os pais de dois jogadores insultaram o árbitro, Mamadou Sow, com palavras xenófobas. Acabaram presos e foram indiciados por crime de ódio.

O mais visto em ...Top 50