Real Madrid

‘Menino anjo’ da Chapecoense realiza o sonho de conhecer James Rodríguez

Garoto que guiou os bombeiros na noite do acidente recebeu convite do Real Madrid para conhecer o clube

Johan Alexis Ramírez Castro com seu ídolo, James.
Johan Alexis Ramírez Castro com seu ídolo, James.

Johan Alexis Ramírez tem 15 anos e, na noite de 28 de novembro do ano passado, ajudou os bombeiros colombianos a chegarem até os destroços do avião que havia caído com o time da Chapecoense, que viajava a Medellín para disputar a final da Copa Sul-Americano contra o Atlético Nacional. Ramírez e seu pai, moradores da localidade de La Unión, 57 quilômetros ao sul de Medellín, escutaram um zumbido e uma explosão pouco antes das 22h. Ficaram sabendo pela televisão do que havia acontecido.

Saíram então no meio da noite à procura do local do acidente e guiaram as equipes de resgates pelos caminhos mais rápidos para alcançá-lo. Desde esse dia, Johan ficou conhecido como “o menino anjo” da Chapecoense. O acidente matou 71 pessoas, mas houve seis sobreviventes. O Governo brasileiro, por sinal, condecorou o jovem Johan com a Ordem do Rio Branco.

MAIS INFORMAÇÕES

O garoto é torcedor do Real Madrid, e o clube branco, através da Fundação Real Madrid e da Fundação Revel (ambas mantêm desde 2008 um acordo para criar escolas sócio-desportivas de futebol), decidiu convidá-lo ao centro de treinamento de Valdebebas para que conhecesse o meia-atacante colombiano James Rodríguez, o técnico Zidane e o resto do elenco. No sábado, acompanhado do presidente da Fundação Revel e do prefeito de Medellín, assistiu no Bernabéu à partida contra o Espanyol. Na segunda-feira, visitou o CT e tirou fotos com os jogadores.

“É um menino com um grande coração”, escreveu James no Twitter. O garoto entregou a James e a Cristiano Ronaldo duas cartas enviadas da Colômbia por um amigo e um primo. “Eu me sinto muito bem por ajudá-los a cumprir esse sonho. Não sei o que escreveram nem sei o que vou dizer ao James quando o vir. Essas coisas não se planejam”, disse Johan ao jornal El Colombiano. Foi embora de Madri vestindo a camisa de James. “Vou guardar por toda a minha vida.”