Seleccione Edição
Login

E George Michael transformou em arte o incidente com um policial em um banheiro

Tão depressivo como selvagemente sarcástico, o cantor se vingou após cair em uma armadilha

Apesar de sempre ter sido acompanhado pelo monstro da depressão, George Michael (que morreu aos 53 anos em 25 de dezembro de 2016) era uma pessoa selvagemente hedonista e profundamente sarcástico. Demonstrou as duas coisas após cair em uma armadilha ultrajante e indigna feita por um policial. Era 1998 e George Michael exibia sua figura de estrela milionária do pop de 35 anos. Alcançou o sucesso com a dupla Wham!, que deixou no auge, e no final dos anos noventa possuía uma bem-sucedida carreira solo. Um alvo fácil e indiscutível.

Uma tarde, o cantor entrou em um banheiro público do Will Rogers Memorial Park, em Beverly Hills (Los Angeles). Um policial à paisana o seguiu. Os dois flertaram e, quando iriam manter relações sexuais, o agente se identificou e prendeu o músico. Em uma entrevista à rede de televisão CNN, Michael expressou seus sentimentos sobre o incidente: “O que eu sinto não é vergonha. Eu me sinto estúpido, imprudente e vulnerável por expor minha sexualidade dessa maneira”.

"O que sinto não é vergonha. Me sinto estúpido, imprudente e vulnerável por ter exposto minha sexualidade dessa maneira", declarou o músico quando foi detido em um banheiro público

O músico foi condenado a pagar uma multa de 800 dólares (2.618 reais) e a cumprir 80 horas de serviços sociais. O capítulo parecia então encerrado. Mas Michael preparou uma ácida vingança. Poucos dias após o ocorrido, o músico entra no estúdio para gravar a música Outside. “Oh, se eu fui mau./ Doutor, o que se pode fazer comigo?/ É que eu penso nele o tempo todo, 24 horas por dia, 7 dias por semana./ Eu já prestei meus serviços à comunidade (apesar de já ter feito isso antes)./ Nunca havia confessado”.

Michael aproveitou o incidente para sair oficialmente do armário e confessar sua homossexualidade (sempre existiram rumores, mas nunca uma declaração a respeito). E ele o fez mordazmente com a letra da música Outside (Do Lado de Fora). Dias depois, declarou: “Quero dizer que não tenho problemas com o fato das pessoas saberem que, atualmente, tenho uma relação com um homem”.

O melhor, entretanto, estava por vir. Para o vídeo da canção, o músico preparou sua grande vendetta. Além disso, era sua especialidade: Michael foi seguramente um dos músicos com maior talento para tirar proveito visual de suas canções. E não nos esqueçamos de que ele viveu a década dourada da MTV.

Vídeo da canção 'Outside,' a resposta de George Michael à armadilha que lhe tenderam.

Salvar

O vídeo começa com uma paródia de um filme europeu erótico dos anos setenta. Até ser interrompido bruscamente. Uma policial mostra um distintivo e a história dá um salto a Hollywood. Nas imagens aparecem policiais realizando prisões. O rosto do músico surge, com seu legendário cavanhaque (dessa vez aparado em linhas finas) e começa a cantar: “Nós fizemos no sofá, fizemos na sala, fizemos sobre a mesa da cozinha, meu amor/ Vamos sair./ À luz do sol./ Sei que você quer, mas não pode dizer”. Mensagem bem clara.

George Michael, vestido de policial, em uma imagem do vídeo 'Outside'.
George Michael, vestido de policial, em uma imagem do vídeo 'Outside'.

A partir desse momento, e com o ritmo dançante e sugestivo da canção, as sequências de casais se beijando aparecem em sucessão, heterossexuais, homossexuais, trios. Na continuação, outra mensagem clara: mictórios comuns se transformam em uma pista de dança de discoteca (com globo de luz incluído). Lá, George Michael, com o uniforme de policial e o cassetete nas mãos, comanda os dançarinos com seus elásticos movimentos.

E o toque de mestre final. O vídeo termina com dois policiais homens, que estavam prendendo casais por toda a cidade, se beijando apaixonadamente. A vingança estava concluída e só era preciso esperar uma reação histérica... para deleite do músico. O vídeo de Outside começou a ser exibido na televisão. Poucos dias depois, Marcelo Rodríguez, o policial que prendeu o músico no banheiro público, mordeu a isca: processou o músico e pediu 10 milhões de dólares (32 milhões de reais). “Ele está zombando de mim nessa gravação”, alegou o agente. O tribunal, entretanto, não aceitou o processo. O rosto do cantor deve ter exibido um sorriso zombeteiro nesse momento. Foi sua vitória.

Poucos dias depois, o policial à paisana que o prendeu mordeu a isca: pediu 32 milhões de reais. “Ele está zombando de mim nessa gravação”, afirmou o agente

Dez anos depois, George Michael foi novamente preso em um banheiro público. Dessa vez por posse de drogas. Mas essa é outra história...

MAIS INFORMAÇÕES