E George Michael transformou em arte o incidente com um policial em um banheiro

Tão depressivo como selvagemente sarcástico, o cantor se vingou após cair em uma armadilha

Uma tarde, o cantor entrou em um banheiro público do Will Rogers Memorial Park, em Beverly Hills (Los Angeles). Um policial à paisana o seguiu. Os dois flertaram e, quando iriam manter relações sexuais, o agente se identificou e prendeu o músico. Em uma entrevista à rede de televisão CNN, Michael expressou seus sentimentos sobre o incidente: “O que eu sinto não é vergonha. Eu me sinto estúpido, imprudente e vulnerável por expor minha sexualidade dessa maneira”.

"O que sinto não é vergonha. Me sinto estúpido, imprudente e vulnerável por ter exposto minha sexualidade dessa maneira", declarou o músico quando foi detido em um banheiro público

O músico foi condenado a pagar uma multa de 800 dólares (2.618 reais) e a cumprir 80 horas de serviços sociais. O capítulo parecia então encerrado. Mas Michael preparou uma ácida vingança. Poucos dias após o ocorrido, o músico entra no estúdio para gravar a música Outside. “Oh, se eu fui mau./ Doutor, o que se pode fazer comigo?/ É que eu penso nele o tempo todo, 24 horas por dia, 7 dias por semana./ Eu já prestei meus serviços à comunidade (apesar de já ter feito isso antes)./ Nunca havia confessado”.

Michael aproveitou o incidente para sair oficialmente do armário e confessar sua homossexualidade (sempre existiram rumores, mas nunca uma declaração a respeito). E ele o fez mordazmente com a letra da música Outside (Do Lado de Fora). Dias depois, declarou: “Quero dizer que não tenho problemas com o fato das pessoas saberem que, atualmente, tenho uma relação com um homem”.

O melhor, entretanto, estava por vir. Para o vídeo da canção, o músico preparou sua grande vendetta. Além disso, era sua especialidade: Michael foi seguramente um dos músicos com maior talento para tirar proveito visual de suas canções. E não nos esqueçamos de que ele viveu a década dourada da MTV.

Vídeo da canção 'Outside,' a resposta de George Michael à armadilha que lhe tenderam.

Salvar

O vídeo começa com uma paródia de um filme europeu erótico dos anos setenta. Até ser interrompido bruscamente. Uma policial mostra um distintivo e a história dá um salto a Hollywood. Nas imagens aparecem policiais realizando prisões. O rosto do músico surge, com seu legendário cavanhaque (dessa vez aparado em linhas finas) e começa a cantar: “Nós fizemos no sofá, fizemos na sala, fizemos sobre a mesa da cozinha, meu amor/ Vamos sair./ À luz do sol./ Sei que você quer, mas não pode dizer”. Mensagem bem clara.

A partir desse momento, e com o ritmo dançante e sugestivo da canção, as sequências de casais se beijando aparecem em sucessão, heterossexuais, homossexuais, trios. Na continuação, outra mensagem clara: mictórios comuns se transformam em uma pista de dança de discoteca (com globo de luz incluído). Lá, George Michael, com o uniforme de policial e o cassetete nas mãos, comanda os dançarinos com seus elásticos movimentos.

E o toque de mestre final. O vídeo termina com dois policiais homens, que estavam prendendo casais por toda a cidade, se beijando apaixonadamente. A vingança estava concluída e só era preciso esperar uma reação histérica... para deleite do músico. O vídeo de Outside começou a ser exibido na televisão. Poucos dias depois, Marcelo Rodríguez, o policial que prendeu o músico no banheiro público, mordeu a isca: processou o músico e pediu 10 milhões de dólares (32 milhões de reais). “Ele está zombando de mim nessa gravação”, alegou o agente. O tribunal, entretanto, não aceitou o processo. O rosto do cantor deve ter exibido um sorriso zombeteiro nesse momento. Foi sua vitória.

Poucos dias depois, o policial à paisana que o prendeu mordeu a isca: pediu 32 milhões de reais. “Ele está zombando de mim nessa gravação”, afirmou o agente

Dez anos depois, George Michael foi novamente preso em um banheiro público. Dessa vez por posse de drogas. Mas essa é outra história...