Seleccione Edição
Login

Guardiola cai diante de Mourinho e é eliminado da Copa da Liga

Em uma vitória por 1 a 0, com gol marcado por Mata, o United tirou o City do torneio

Resultado: Manchester United 1x0 Manchester City
Próximo de Mourinho, Guardiola gesticula durante o jogo. REUTERS

Somar seis jogos consecutivos sem vitória não é algo habitual para um técnico vitorioso como Pep Guardiola. Mas essa é a atual situação dele, algo inédito em sua carreira como treinador. Nesta quinta, perdeu para o Manchester United (1 x 0), resultado que colocou a equipe de José Mourinho nas quartas de final da Copa da Liga, uma competição em que o Manchester City defendia o título. No sábado, na casa do fraco West Bromwich Albion, três dias antes de receber o Barcelona na Champions, o City terá a oportunidade de voltar a saborear um triunfo, o que não acontece desde 24 de setembro. Desde então, empatou com o Everton, Southampton e Celtic e perdeu para o Tottenham, o Barcelona e o Manchester United.

Sorteio das quartas de final evitará cruzamento de Liverpool, Arsenal e United, os três favoritos

Guardiola cai diante de Mourinho e é eliminado da Copa da Liga

Poucos minutos após a conclusão das partidas das oitavas de final, o estúdio do canal Sky Sports, que detém os direitos de transmissão da Copa da Liga inglesa, acolheu um sorteio asséptico e nada cerimonioso para as quartas. Mas o que interessa são os confrontos, em jogo único. O Manchester United enfrentará o West Ham United com vantagem de campo. O Liverpool receberá o Leeds United, que junto com o Newcastle é a única equipe da segunda divisão inglesa ainda na disputa. O time de Rafael Benítez visitará o Hull, e o Arsenal receberá o Southampton. Todos os jogos serão em 28 de novembro.

Nas duas outras partidas de ontem, o Southampton obteve a classificação graças a um gol do marroquino Boufal contra um Sunderland que, dirigido por David Moyes, não ganhou nenhuma partida nas nove rodadas do Campeonato Inglês que disputou, e apenas superou rivais de divisões inferiores nas duas fases preliminares da Copa da Liga. No estádio olímpico de Londres, o West Ham deu outro passo para deixar para trás o seu nefasto início de temporada e eliminou o Chelsea, graças a um gol de Kouyaté logo no começo e outro de Fernandes no início do segundo tempo. Cahill descontou quase no final.

No papel, a escalação já mostrava que o confronto era importante para Mourinho, que colocou em campo sete jogadores que foram titulares na amarga derrota contra o Chelsea no fim de semana. Guardiola, ignorando estatísticas, tendências e recordes, talvez se sentisse menos pressionado, ou pelo menos sentiu que estava em condições de explorar mais detalhadamente a profundidade do seu elenco. Assim, praticamente descartou o time que entrara em campo no sábado contra o Southampton, mantendo apenas Kompany, sacado no intervalo, e Sané, que saiu por volta de 15 minutos do segundo tempo.

Podem ter sido as mudanças, pode ter sido o contexto e o rival, mas o fato é que o City foi a equipe menos guardiolizada que se poderia imaginar. Abriu mão da posse de bola, apostou nos contra-ataques e inclusive pareceu à vontade nesse papel, porque dava a sensação de controlar o jogo e o adversário. O United se afobou, e a partida derivou para uma amena troca de imprecisões, mal jogada, mas com o sabor de mata-mata e alguns detalhes, como Ibrahimovic mais dedicado ao passe que à finalização, ou os jovens Maffeo e Aleix García, duas promessas do futebol espanhol forjadas na luxuosa academia do City. Têm 19 anos e não se intimidaram com um confronto cheio de nomes ilustres.

Ganhou o United porque aproveitou sua voraz saída depois do descanso e golpeou um City que se sentiu acomodado, mas na verdade caminhava na corda-bamba, muitas vezes atrás da linha bola, quase sem chegar à área rival, exceto por algum pique de Jesús Navas, nem cadência para se impor com a bola. Pogba mandou o primeiro recado com um arremate após ação fabricada por Ibrahimovic, que bateu na trave após tocar o goleiro Caballero. E Mata decidiu vindo de trás, após outra assistência do atacante sueco. Em desvantagem no placar, Guardiola acionou Sterling e Agüero – dinamite na frente, mas sem pavio por trás. E assim Mourinho chegou ao seu quarto triunfo em 18 partidos contra times dirigidos por Guardiola, que foi embora do Old Trafford sem reclamar. “Parabéns ao United, estou muito orgulhoso dos meus jogadores.”

Mata marca o único gol da partida.
Mata marca o único gol da partida. Man Utd via Getty Images

MAIS INFORMAÇÕES