Alemanha prende um jihadista suspeito de planejar atentados como os de Paris e Bruxelas

Suposto terrorista foi detido com a ajuda de dois refugiados sírios, que o amarraram na sua casa

O homem mais procurado da Alemanha durante o último fim de semana, um refugiado sírio suspeito de preparar um atentado, foi capturado pela polícia na madrugada desta segunda-feira. Jaber Albakr caiu graças à colaboração de dois compatriotas seus, que o acolheram em sua casa depois de reconhecê-lo e o mantiveram amarrado até a chegada da polícia. O ministro do Interior, Thomas de Maizière, afirmou horas depois que, segundo informações em poder das forças de segurança, o detido poderia estar planejando um ataque semelhante aos ocorridos nos últimos meses em Paris e Bruxelas. Segundo informações de diversos meios de comunicação, não confirmadas pela polícia, um aeroporto de Berlim estaria na mira do suspeito.

Foto feita pública pela policial de Sajonia do suspeito de planejar um ataque Jaber Albakr.
Foto feita pública pela policial de Sajonia do suspeito de planejar um ataque Jaber Albakr.CHRISTIAN ZANDER/POLICE SAXONY / / EFE

A busca frenética começou na manhã de sábado na cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha. A polícia, que havia sido avisada pelos serviços de inteligência sobre a alta periculosidade de Albakr, entrou na sua casa e lá encontrou centenas de gramas de um material muito explosivo, identificado como peróxido de acetona (TATP), uma fórmula empregada pelo Estado Islâmico (EI) em outros atentados. Apesar de os agentes terem feito disparos de advertência, o sírio de 22 anos, que havia chegado à Alemanha em fevereiro do ano passado, conseguiu escapar.

Mais informações

Começou então uma caçada que manteve grande parte do país em vigília, temendo a possibilidade de que um terrorista descontrolado estivesse à solta. A tensão durou até a madrugada da segunda-feira, quando ele foi detido em Leipzig, a 85 quilômetros de sua moradia em Chemnitz. A polícia confirmou que Albakr foi identificado e retido por outros dois sírios. Segundo informações da agência de notícias DPA, um refugiado reconheceu o suspeito no domingo na estação de trens de Leipzig. Quando este lhe pediu para passar a noite na sua casa, esse refugiado aceitou e, com a ajuda de um compatriota com quem divide apartamento, amarrou seus pés e mãos e chamou a polícia.

“Estamos cansados, mas felizes”, disse um policial da Saxônia após encerrar quase 48 horas de buscas ao suposto terrorista. “A atitude e o modus operandi do suspeito nos levam a crer numa relação com o EI”, acrescentou o chefe do Escritório de Investigação Criminal da Saxônia, o Estado da ex-Alemanha Oriental onde ficam Chemnitz e Leipzig. O ministro do Interior elogiou a atuação policial, mas insistiu em que o risco de um atentado islâmico continua sendo alto.

A detenção de Albakr expõe mais uma vez a ameaça do jihadismo internacional. A Alemanha evitou os enormes atentados como os ocorridos no último ano na França e na Bélgica, mas em julho sofreu dois ataques de jihadistas – um afegão agrediu com um machado vários passageiros num trem, e um sírio morreu quando tentava colocar uma bomba num festival de música –, sem vítimas mortais, mas com duas dezenas de feridos, alguns deles em estado grave.

Estes dois ataques – somados a uma matança de nove pessoas num centro comercial de Munique, embora sem nenhuma relação com o islamismo – contribuíram para aumentar a sensação de perigo entre a população. O fato de os dois jihadistas que agiram em julho terem chegado à Alemanha como refugiados aumentou também a pressão sobre a chanceler (primeira-ministra) Angela Merkel por ter permitido a entrada, em 2015, de 890.000 solicitantes de asilo – as autoridades recentemente reduziram a cifra antes divulgada de 1,1 milhão de ingressos desde o começo do ano.

Mais informações