Champions League

Sevilla vai mudar time e tática contra o Lyon

Sampaoli admite que suas propostas ainda não deram resultados e que o time precisa de mais profundidade e mais chegada

Coletiva de imprensa de Sampaoli / ATLAS (atlas)

Jorge Sampaoli compareceu à sala de imprensa do estádio Ramón Sánchez Pizjuán para falar do seu segundo confronto como treinador na Champions League. Será nesta terça-feira, às 15h45 (horário de Brasília), contra o Lyon, rival direto do Sevilla pela vaga na próxima fase. Depois da derrota para o Athletic de Bilbao pelo Campeonato Espanhol, o técnico argentino anunciou mudanças tanto no sistema tático como na escalação. “Estamos trabalhando nisso, na construção de traduzir a posse em sermos mais diretos, mais profundos. Estamos procurando argumentos para melhorar nessa faceta”, afirmou o treinador do Sevilla. “Temos que causar mais estrago a partir da posse, com mais chegada. Contra o Lyon vamos alterar o sistema e os nomes, estamos buscando mais chegada. Em Bilbao nos faltou isso, e perdemos”, acrescentou o técnico.

Sampaoli demonstrou, além disso, um grande conhecimento sobre o Lyon, rival direto na classificação para as oitavas de final. “Contra o Lyon precisaremos de paciência, porque eles recuam bastante e são muito velozes nas transições. Jogam com três zagueiros, dois homens por fora e um volante interno. É preciso tomar muito cuidado com as aparições de Tolisso e as diagonais de Kadir”, destacou Sampaoli.

MAIS INFORMAÇÕES

“Jogar a cada três dias nos dá a possibilidade de nos erguermos rápido depois de uma derrota. Agora, na Champions não temos a mínima margem de erro, porque é uma competição muito exigente”, afirmou o treinador, que informou que Rami não será relacionado, e que jogadores como Ganso e Ben Yedder, ausentes em Bilbao, podem ter uma chance contra os franceses.

Sampaoli se referiu à situação de Nasri, muito mencionado pelos jornalistas franceses em Sevilha. “Estou feliz com a chegada de Samir. Eu a propus, e há muito tempo vínhamos brigando para que acontecesse. Há no mundo pouquíssimos jogadores no nível de Samir. Por isso, se ele continuar assim não terá problemas para voltar à seleção em nível máximo”, disse o treinador sobre aquele que, neste momento, é o seu melhor atleta.