Campeonato Espanhol

Simeone: “Neymar canta, dança e depois arrebenta”

Técnico do Atlético defende o estilo malabarista do jogador brasileiro

Simeone atinge a bola ante Burgos no treinamento prévio ao Barcelona-Atlético. ZIPI EFE (atlas)

O hedonismo de Neymar com seu jogo primoroso pairou sobre a sala de imprensa do Atlético de Madrid na entrevista de Diego Pablo Simeone. As recriminações dos jogadores do Leganés e as brigas dele com Juanfran ganharam boa parte do foco da prévia do Barça-Atlético. Simeone fez uma defesa acalorada de Neymar e de sua maneira de entender o jogo: “Neymar canta, dança e depois arrasa. Podem continuar criticando-o que o garoto depois responde onde tem que responder”.

Com Neymar, Simeone se atém ao que ele faz no terreno do jogo. E aí o considera um jogador decisivo, que desequilibra. “É um jogador extraordinário, que foi jogar as Olimpíadas e as venceu. Foi criticado no Brasil nos dois primeiros jogos, até mesmo em sua vida privada. Chegou a Barcelona e encontrou um lugar incrível para poder mostrar seu talento. Chegou de férias e continua na mesma linha. Tem uma qualidade que o leva a esse tipo de situações e eu gosto muito disso”.

Mais informações

Sobre a partida, Simeone descartou a ideia de repetir o onze ofensivo contra o Sporting, no qual Carrasco e Gaitán entraram logo no início. “Amanhã, não”, brincou. O técnico argentino pôs a ênfase nas grandes áreas, apesar da importância que dá ao meio do campo, no qual utilizará Saúl, Gabi, Koke e Carrasco. "Acho que a partida se define nas grandes áreas, mais do que no meio, porque eles têm um poder ofensivo tremendo e, embora nos defendamos da melhor maneira, teremos certamente opções para poder aproveitar as características dos jogadores que podem jogar. O meio é uma passagem de transição, mas a realidade destas partidas contra essas equipes que têm tanto talento está nas áreas”.

Ao lhe perguntarem qual versão espera do Barcelona, disse: “O Barcelona mantém sempre sua identidade, seu futebol. Imagino que amanhã, salvo a dúvida que terá de Mascherano na parte central, jogarão os que jogaram sempre. Iniesta, Rakitic, Busquets...E Sergi Roberto pela direita, o que lhes dá mais opções de fazer mais gols porque ocupa bons lugares de meio-campista por dentro, e isso torna o Barça ainda mais perigoso”.

Simeone não conseguiu ganhar em oito partidas disputadas no Camp Nou, e não fica dando desculpas: “Sempre foram melhores, mesmo que em alguns momentos do início nós tenhamos nos colocado na frente e os superado. Ganharam de nós por méritos próprios”.