Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Waldir Maranhão, o ‘figurante’ que incendiou a crise política: a segunda-feira em imagens

Presidente interino da Câmara, alçado ao posto por decisão do STF de afastar Eduardo Cunha, anula tramitação no impeachment na Casa. Senado, no entanto, mantém processo de votação que pode afastar presidenta

  • Waldir Maranhão
    1Waldir Maranhão (PP), presidente interino da Câmara, imprimiu mais uma reviravolta na crise política ao anular, nesta segunda, sessões que aprovaram processo de impeachment na Casa. AFP
  • Waldir Maranhão impeachment
    2Cadetes resguardam Palácio do Planalto enquanto estudantes e professores "ocupam" sede do Executivo com frase de apoio contra impeachment. Ao comentar anulação da aprovação de processo pela Câmara, presidenta pediu "cautela". EFE
  • Presidenta chega à cerimônia com estudantes e docentes que se transformou em ato de desagravo a seu mandato.
    3Presidenta chega à cerimônia com estudantes e docentes que se transformou em ato de desagravo a seu mandato. EFE
  • Apesar de ser comedida, presidenta transpareceu bom humor na cerimônia.
    4Apesar de ser comedida, presidenta transpareceu bom humor na cerimônia. REUTERS
  • Presidente do Senado, Renan Calheiros, decide ignorar decisão de Waldir Maranhão, no comando da Câmara de maneira interina.
    5Presidente do Senado, Renan Calheiros, decide ignorar decisão de Waldir Maranhão, no comando da Câmara de maneira interina. EFE
  • Maranhão, cercado de governistas, não anunciou que passos legais vai tomar para tentar obrigar Senado a deter impeachment.
    6Maranhão, cercado de governistas, não anunciou que passos legais vai tomar para tentar obrigar Senado a deter impeachment. AP
  • Grupo pró-Dilma comemora decisão do presidente interino da Câmara em um ato na avenida Paulista, em frente ao MASP.
    7Grupo pró-Dilma comemora decisão do presidente interino da Câmara em um ato na avenida Paulista, em frente ao MASP. EFE
  • Manifestantes contrários ao Governo Dilma protestam em frente à sede da FIESP, na avenida Paulista, onde um grupo mantém um acampamento.
    8Manifestantes contrários ao Governo Dilma protestam em frente à sede da FIESP, na avenida Paulista, onde um grupo mantém um acampamento. /EFE