Oscar 2016

O discurso ecologista de Leonardo DiCaprio no Oscar: “O planeta não é algo garantido”

“A mudança climática é real, é a ameaça mais urgente por enfrentar”, disse ao receber o prêmio

Mais informações

Leonardo DiCaprio (finalmente) ganhou o Oscar. Segundo a Entertainment Weekly, no momento do anúncio desse prêmio foram registrados 440.000 postagens por minuto no Twitter, ou seja, o momento mais tuitado na história do Oscar, superando o selfie de Ellen DeGeneres. Em seu discurso, DiCaprio agradeceu à equipe do filme, como é praxe, e dedicou algumas palavras à mudança climática, já que O Regresso – filme que lhe deu o prêmio – trata “da relação do homem com a natureza”. O ator concluiu pedindo para deixarmos de "encarar o mundo como algo garantido". Veja o discurso completo de Leonardo DiCaprio no Oscar:

“Muito obrigado a todos. Obrigado à Academia, obrigado a todos os que estão neste auditório. Tenho que parabenizar os demais candidatos deste ano por suas incríveis interpretações. O Regresso é fruto dos esforços incansáveis de uma equipe e de um elenco incríveis.

Primeiro, meu irmão neste projeto, o senhor Thomas Hardy. Tom, o seu talento feroz na tela só é superado por sua amizade fora dela. Ao senhor Alejandro Iñárritu. À medida que a história do cinema se desenrola, você vem abrindo seu caminho nesta história nos últimos dois anos. É um talento incrível, obrigado a você e ao Chivo [Emmanuel Lubezki, diretor de fotografia] por criar uma experiência cinematográfica relevante para todos nós.

Obrigado a todo mundo da Fox e da New Regency. Arnon Milchan, você é o herói deste projeto. A minha equipe completa. Devo agradecer a todos desde o início da minha carreira: ao senhor Caton-Jones, por me escolher para o meu primeiro filme; ao senhor Scorsese, por me ensinar tanto sobre a arte cinematográfica; ao senhor Rick Yorn, obrigado por me ajudar a me guiar nesta indústria. Sem meus pais, nada disto teria sido possível. E aos meus amigos, adoro vocês, vocês sabem quem são.

Por último, só quero dizer isto: O Regresso trata da relação do homem com a natureza, uma natureza que todos sentimos em 2015 como o ano mais quente já registrado. Nossa produção precisou se deslocar ao ponto mais meridional deste planeta só para poder encontrar neve.

A mudança climática é real, está acontecendo agora mesmo. É a ameaça mais urgente que a nossa espécie precisa enfrentar. Precisamos trabalhar juntos e deixar de procrastinar. Precisamos apoiar os líderes de todo o mundo que não falam em nome das grandes corporações poluentes, mas sim de toda a humanidade, dos povos indígenas, de bilhões de pessoas desfavorecidas que serão as mais afetadas por tudo isto, das crianças e de tanta gente cujas vozes foram afogadas pela política da cobiça.

Obrigado a todos por este prêmio incrível desta noite. Não devemos encarar o planeta como algo garantido. Não encaro esta noite como algo garantido”.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete