Oscar 2016

Um urso e os ecos da ditadura chilena contra a Pixar

O filme chileno ‘História de um urso’ ganha o Oscar de melhor curta de animação

Uma imagem da curta-metragem animada 'A bear story'.
Uma imagem da curta-metragem animada 'A bear story'.Punk Robot

MAIS INFORMAÇÕES

A equipe do estúdio de animação Punk Robot se reuniu em 13 de janeiro, às 10h da manhã, numa casa de Santiago do Chile. Sintonizaram a televisão da sala no anúncio das indicações ao Oscar 2016. O diretor Gabriel Osorio admite que naquele momento se sentia “muito nervoso” e que não conseguira dormir na noite anterior. E finalmente chegou o momento que a equipe de produção esperava. O cineasta mexicano Guillermo del Toro anunciou os finalistas na categoria de melhor curta-metragem de animação. Para surpresa sua e dos demais presentes, História de um urso, baseado num relato familiar da época da ditadura e na nostalgia típica do Chile, iria disputar o prêmio mais importante do cinema mundial, enfrentando gigantes como a Pixar.

O resto da cena fala por si. Gritos de alegria, abraços, sorrisos e uma felicidade incontida. “Conseguimos, conseguimos!”, gritava efusivamente a equipe da Punk Robot, enquanto as felicitações continuavam, enfeitadas por confetes coloridos que tomavam conta da sala. História de um urso (exibido nos EUA como Bear story) acabou levando o prêmio na noite de domingo, superando os filmes Sanjay’s Super Team, da Pixar, Prologue, We Can’t Live Without Cosmos e World of Tomorrow.

Um pedaço da história chilena

Osorio conta que História de um urso se baseia na história do seu avô, Leopoldo Osorio, que passou dois anos preso e depois se exilou na Inglaterra e Espanha durante a ditadura chilena (1973-90). O curta, retratado numa atmosfera nostálgica e de perda das raízes, conta, através de um diorama, a história de um pai urso que recorda como foi sequestrado por agentes fardados, afastado da sua esposa e do seu filho e forçado a trabalhar num circo.

“Durante a minha infância, senti a presença invisível de um avô ausente, que não estava morto, mas não estava presente na minha vida. O curta não trata da vida do meu avô, mas se inspira na sua ausência e na marca que deixou em mim”, afirma o cineasta chileno.

Osorio, junto com a equipe da Punk Robot, utilizou a metáfora – no formato fábula – para transformar a história do avô dele em um relato universal. “É inspirada no sentimento de perda das raízes e da separação familiar. Resgata-se mais o sentimento da história do Chile do que a sua literalidade”, observa.

Ele considera que a ditadura já não é um tema tabu e que as feridas do país começam a ser curadas. Talvez por isso, História de um urso também foi um processo de reconciliação para a família do cineasta. Devido ao exílio e à situação do seu avô, alguns dos parentes se mantiveram afastados. Agora, ao “se verem refletidos”, conseguiram se reunir. “Foi algo bonito que o curta motivou. Foi um processo emocionante e emotivo”, diz.

Trabalho à moda antiga

A direção de arte teve muita influência da nostalgia típica do Chile e das lembranças familiares da equipe, segundo a diretora de animação Antonia Herrera. “Tudo está baseado na nostalgia de como recordamos nossas famílias e nossos avós quando éramos crianças. Utilizamos tons sépia, como o de retratos e fotos antigas. Objetos que tiveram um uso, uma história. Isso é o que tentamos recuperar", acrescenta.

Herrera conta que a equipe quis resgatar também a figura do homem do realejo, girando sua manivela para emitir música. Descreve que essa atração ainda é comum em alguns parques do país, e que os donos dos realejos sobrevivem vendendo cata-ventos e balas às crianças.

A ideia do filme se refletiu também no uso de “formas de trabalhar como antigamente”, segundo Herrera. Isso significou, por exemplo, fazer desenhos com carvão e tinta a óleo, entre outras técnicas. “Embora o curta esteja em formato digital, a direção de arte é à mão. O personagem do primeiro urso foi modelado com massinha, manualmente, para que víssemos como seria seu aspecto em três dimensões. Buscamos criar todo um universo, a partir do que acontece no diorama e do que acontece na vida real do papai urso.”

Assista ao curta aqui:

Em busca de um estilo próprio

Para a equipe da Punk Robot, a simples indicação ao Oscar, depois de ganhar outros 55 prêmios internacionais nos últimos dois anos, já seria “um grande passo” para que se fale da animação latino-americana em Hollywood. Mas para isso eles acreditavam que seria necessário encontrar um “diferencial” para posicionar os estúdios de animação da região nesse mercado.

Antes do prêmio no domingo à noite, o diretor se dizia consciente de que não teria como competir com os orçamentos de grandes estúdios, como a Pixar. Por isso, ele considera ser essencial encontrar uma identidade e estética que representem a América Latina no mundo, além de contar o inumerável acervo de histórias do subcontinente a partir de "um ponto de vista do sul". Ele cita como exemplo o trabalho feito pelo estúdio irlandês Cartoon Saloon em Song of the Sea.