Seleccione Edição
Login

Djokovic confirma que tentaram suborná-lo

Novak admite que lhe ofereceram dinheiro para perder um jogo em São Petersburgo

djokovic admite que tentaram suborná-lo
Djokovic se refresca durante um descanso. REUTERS

Seu pronunciamento era esperado, já que é o número 1, e Novak Djokovic não se escondeu. O sérvio fez referência à informação publicada pela BBC e o BuzzFeed News sobre uma suposta rede de apostas ilegais e arranjos de partidas que envolve 16 jogadores do top-50 do ranking mundial e o torneio de Wimbledon. “Não há nenhuma prova contra um jogador em atividade. Enquanto continuar assim, será simples especulação.” Com essa contundência se expressou Novak, que em sua estreia na Austrália venceu o coreano Hyeon Chung (6-3, 6-2 e 6-4) em uma hora e 55 minutos. Mas a competição está em segundo plano.

“Até onde sei, isso não acontece no nível top. No nível challenger, nesse tipo de torneio, talvez ocorra e talvez não”, explicou Djokovic, de 28 anos, o primeiro peso-pesado da ATP a jogar na noite de ontem em Melbourne. “Sempre tomarei a decisão correta. Mas só posso falar de meu próprio comportamento.”

O rei do circuito admitiu que em 2007 lhe ofereceram uma proposta: 200 mil dólares (cerca de 800 mil reais, em valores atuais) para perder uma partida na primeira rodada de São Petersburgo. “Infelizmente, naquela época havia rumores e as pessoas falavam. Nos últimos seis ou sete anos, não voltei a escutar algo similar”, disse. “Naquele momento eu me senti mal porque não quero estar ligado a isso de nenhuma forma. Para mim, é um ato contrário aos valores do esporte, é um crime contra o esporte. Por sorte, nunca precisei me envolver com esse tipo de situação.”

Por enquanto não há nenhuma prova. É simples especulação"

Novak Djokovic

Para concluir, o atleta defendeu seu esporte. “O tênis é um esporte popular e limpo porque sempre valorizou sua integridade. Proteger a integridade sempre foi uma prioridade para todos”, disse o sérvio, questionando torneios de tênis patrocinados por casas de apostas. “É um tema para se debater agora e no futuro. É uma linha muito tênue. Eu diria que está justo na fronteira.”

Federer, durante sua partida contra Basilashvili.
Federer, durante sua partida contra Basilashvili. Getty

Outra estrela do tênis mundial, Roger Federer (6-2, 6-1 e 6-2 contra Nikoloz Basilashvili na primeira rodada) também se pronunciou. O suíço, de 34 anos, manteve a mesma linha de ceticismo de Djokovic. “Não sei exatamente o que há de novo. Ouvi velhos nomes, mas este caso já foi abordado”, indicou Federer quando lhe perguntaram sobre a informação de que há vencedores de Grand Slam entre os suspeitos. “Quem? O quê? Só disseram isso. É fácil fazer assim. Deveriam pelo menos ser mais concretos. Aí poderíamos discutir. Não tem sentido dar uma resposta porque seria pura especulação.”

Temos que ser muito agressivos com tudo isso, como acontece com o doping"

Roger Federer

Federer negou já ter recebido uma proposta desonesta. “Nunca entraram em contato comigo”, afirmou, pedindo que haja uma profunda investigação sobre os casos de apostas ilegais. “Temos que ser muito agressivos, como acontece com o doping. O tênis é interessante para os fãs se não souberem o resultado; do contrário, nem viriam nos ver.”

MAIS INFORMAÇÕES