Real Madrid

Bale, um problema para Zidane

Galês teme perder a liberdade conseguida com Benítez e ser obrigado a voltar à lateral

Bale na partida contra o Valencia.
Bale na partida contra o Valencia.JOSE JORDAN (AFP)

A direção imaginou que o espanhol relançaria a carreira dele. O agora ex-treinador do Real chegou ao clube em junho com a tarefa de deixar Bale feliz. Para isso, disseram-lhe que o mais recomendável seria passá-lo da lateral direita para a esquerda ou para a cabeça de área, onde gozaria de maior liberdade. Benítez cumpriu. O técnico procurou para o galês uma função mais desafogada, num regime de permutas que lhe permitia jogar em todas as zonas do ataque sem se comprometer excessivamente com as tarefas defensivas. Seus jogos iniciais na zona central do ataque não foram bons, e Bale não tardou a escutar as primeiras críticas no Bernabéu, que pedia o jogador na lateral esquerda, posição em que tinha estourado no Tottenham. Com o tempo, entretanto, ele começou a mostrar sua melhor versão.

Mais informações

Ninguém pode acusar Benítez de não ter respeitado seu compromisso de elevar o nível de Bale. O que o treinador não conseguiu foi ajustar o trio BBC [Bale, Benzema e Cristiano] ao funcionamento coletivo da equipe. Bale chegou à partida contra o Valencia em um bom momento, depois de somar quatro gols e duas assistências nas duas jornadas anteriores. Apresentou-se como o maior assistente da Liga, com oito passes de gol, e no Mestalla, contra o Valencia (empate por 2 a 2), encontrou o tento que parecia salvar o seu salvador. Mas o Valencia empatou, e Benítez foi destituído no dia seguinte. Justamente quando Bale parecia alcançar o pico da sua produção.

Zidane o acolhe no primeiro dia

O galês teme perder agora a comodidade alcançada nestes meses com Benítez. Zidane terá de conquistar seu coração. Créditos para isso não faltam ao francês. Em 2013, ele admitiu ter insistido na sua contratação. “Desde o primeiro momento estimulei o presidente a fazer um esforço pela contratação de Bale”, afirmou em uma entrevista ao canal de TV do Real Madrid.

Nesta terça-feira, em sua primeira entrevista coletiva, Zidane quis demonstrar seu grande respaldo a Bale, instantes depois de reconhecer o mal-estar do jogador pela saída de Benítez. “Entendo que possa estar chateado, porque era importante para ele, mas eu vou lhe dar o mesmo carinho que tinha com Rafa. É um jogador muito importante para o elenco e fundamental para a equipe. Vou dar todo o carinho para que jogue bem. É um jogador fundamental para a equipe. Vou dar todo o meu apoio”, disse.

Possível volta à Inglaterra

O fato é que o trabalho de Zidane com Bale será decisivo para o futuro do jogador em Madri. Na Inglaterra, já se especula sobre sua possível volta à Inglaterra no final desta temporada. Seria pelas mãos do Manchester United, equipe que, segundo o Daily Mail, ofereceria uma quantia próxima aos 100 milhões de euros [434 milhões de reais].

Além disso, segundo a imprensa britânica, tentarão convencê-lo com um de seus ídolos, Ryan Giggs. Seu compatriota, atualmente assistente de Louis Van Gaal, deverá ser essencial no Manchester United para obter a contratação de Bale, um velho desejo do clube inglês, que brigou com o Real para tê-lo em 2013.

O papel que Zinedine Zidane lhe conceder no novo Real Madrid determinará o futuro do astro galês, que nesta quarta-feira treinou pela primeira vez sob as ordens do francês.